Arquivo da tag: rock

30/05/2016_09:00

por GUSTAVO GARCIA

O duo Chairlift, formado originalmente por Caroline Polachek e Aaron Pfenning, então amigos de universidade, em 2005, começou sua carreira com a proposta de fazer um som que servisse de trilha ambiental para casas mal-assombradas. Após a breve fase sombria, a dupla se mudou para Williamsburg, no Brooklyn, NY, mudou a formação original — incorporando o músico Patrick Wimberly — e assinou contrato com sua primeira gravadora, a Kanine Records, responsável por lançar seu primeiro álbum, intitulado “Does You Inspire You”, no ano de 2008.

O álbum de estreia foi muito bem-recebido pelo público e pela crítica, e o clipe do single “Evident Utensil” foi indicado em uma das premiações mais concorridas e respeitadas no mundo pop, o MTV Video Music Awards. Depois desse reconhecimento, a dupla assinou contrato com uma grande gravadora, a Columbia, que relançou o disco, incluindo faixas inéditas e, em seguida, partiu para sua primeira turnê internacional, abrindo shows de bandas de primeira linha como o Phoenix.

Cinco anos após o primeiro lançamento, a dupla dedicou-se a uma profunda imersão no universo pop dos anos 1980, unindo influências góticas e baladas sinistras (lembram que tudo começou com trilha de casas mal-assombradas?), da qual nasceu seu segundo disco, intitulado simplesmente “LP” (sigla para “long-play”, nome dado ao disco de vinil de carreira, com cerca de 10 músicas). Nessa mesma época, surgiu um convite para uma parceria insólita com nada menos que a super-übber-r&b-popstar Beyoncé.

Em seu terceiro álbum, “Moth”, lançado este ano, fica latente a evolução da banda para um som mais maduro e menos inofensivo, diferente do de seu disco de estreia. As faixas parecem brotar de um ambiente criativo, passeando por diversos campos da música pop, ampliando o terreno explorado pela dupla anteriormente.

As diversas referências presentes neste disco incorporam a black music de diferentes épocas, com passagem pelo R&B, pelo hip hop dos anos 1980, pela disco, e até por uma visita à obra de Michael Jackson, com manipulações vocais e batidas que os distanciam do synthpop obscuro dos álbuns anteriores.

Chairlift é uma das bandas mais promissoras do atual cenário musical mundial e suas músicas encantam todos por onde passam, conquistando novos fãs e consolidando uma carreira em ascensão. Eles são modernos e combinam bem com este mundo em que vivemos, multicultural e cheio de referências. Você pode conferir a playlist que preparamos com algumas canções da banda. Aperte o play e embarque nesta viagem.

08/04/2016_10:00

Há uma essência indescritivelmente identificável no rock clássico. O que constitui a alma desse  estilo musical, especificamente, não sabemos, mas provavelmente tem algo a ver com a familiaridade: desde vocais inesquecíveis até os riffs de guitarra.

Com o poder de amplificar mares de pessoas, o rock tradicional, que existe do período dos anos 50 aos anos 80 — e timidamente nos anos 90 —  é uma celebração das músicas que todo mundo conhece e dificilmente desgosta.

De acordo com o blog musical FiveThirtyEight, artistas consagrados como Led Zeppelin, Aerosmith e Rolling Stones compõem 50% das faixas tocadas em estações de rock clássico americanas.

Na playlist dessa semana, nenhum mestre foi deixado de fora: AC/DC, The Who, Alice Cooper, The Doors, Pink Floyd e Black Sabbath dividem espaço com Queen, Jimi Hendrix, The Police, Guns N’ Roses e The Clash. Então não tenha dúvidas: aperta o play e curte a playlist mais deliciosa e democrática que você vai encontrar hoje.

22/03/2016_17:00

Uma t-shirt com temática de rock ‘n’ roll é uma forma de sinalizar para o mundo o seu gosto musical. Capas de discos, imagens icônicas e outros cool designs ilustram as estampas da nossa popular linha Rock Tees.

Temporada após temporada, a diretora de estilo Adriana Bozon reproduz t-shirts de rock especialmente para um público moderno e antenado adquirir. No processo de criação das mesmas, garante-se que o resultado final fique equiparado à essência do rock: com um visual desbotado e detonadinho.

É por essas e outras que você não vai encontrar rocker t-shirts como as da ELLUS em nenhum outro lugar. Embora muitas das estampas sejam clássicas para preservar o espírito do rock lendário, as Rock Tees são uma explosão de criatividade e originalidade, além de unirem a estética rockeira com um estilo impecável. Afinal, a melhor coisa é conseguir expressar sua personalidade através do que se veste!


Clique aqui para comprar essa t-shirt na Online Store.


Clique aqui para comprar essa t-shirt na Online Store.


Clique aqui para comprar essa t-shirt na Online Store.


Clique aqui para comprar esse moletom na Online Store.


Clique aqui para comprar essa t-shirt na Online Store.

23/12/2015_10:00

,

por ANDRÉ PEREZ

O Natal está quase aí e, para entrar no clima, os nossos parceiros da Tecla Music fizeram uma playlist incrível de músicas natalinas. Já contamos aqui que a Tecla é a responsável pela música que você ouve em todas as ELLUS espalhadas pelo Brasil, mas o que talvez vocês não saibam é que a agência de branding musical tem um faro para resgatar músicas que a gente ama!

A nossa playlist natalina tem Beatles, Ramones, Julian Casablanca e Beach Boys — só para citar alguns highlights — e mescla canções das mais diferentes décadas. “Mistress for Christmas”, do AC/DC, por exemplo, data dos anos de 1990 enquanto “Marry Christmas Baby”, dos Beach Boys, remonta a 1964.

Sempre em dezembro, a banda americana The Killers lança canção natalina com videoclipe e destina a venda do single à instituição social RED (já falamos disso aqui). Em 2015, eles comemoram 10 anos deste projeto com “Dirt sledding”, mas a música escolhida pela Tecla para integrar o nosso mix foi “A great big sled”, de 2006, um dos clipes mais  divertidos de todo o compêndio natalino da banda de Las Vegas.

Mais curiosidades: “I wish it was Christmas today”, de Julian Casablancas, foi composta originalmente para o programa de comédia americano Saturday Night Live; a regravação de “Alone on Christmas day” do Phoenix foi produzida para “A very Murray christmas”, filme natalino de Sophia Coppola com Bill Murray que acaba de estrear no Netflix; “The Christmas song” é a música mais recente do do duo dinamarquês The Ravonettes.

Não deixe de ouvir “Last Christmas”, canção de 1984 do Wham! que, para nós do Sala ELLUS é tão icônica quanta “Santa Claus is coming to town“, que incluímos na voz de Bruce Springsteen. 

Pode agradecer: demos um motivo e tanto para você se tornar o centro das atenções na sua ceia de Natal. Nem precisa dizer que fomos nós quem motamos. Aperta o play!

27/09/2015_02:07

por ANDRÉ PEREZ

A noite de ontem confirmou que esse Rock in Rio veio para quebrar recorde de cabeludos, rodinhas e bate-cabeça no gramado do festival. Dos sete dias de festa, nada menos do que três foram dedicados ao rock pesado. E a noite final do metal teve, como principal astro, o Slipknot.

Os mascarados fizeram um show completo, com tudo que uma grande produção tem direito: chuva de confetes, pirotecnia, efeitos especiais e um público histérico e entregue. Um dos momentos mais marcantes foi em “Spit It Out”, quando, do palco, os metaleiros de Iowa conseguiram fazer com que a multidão sentasse no chão e desse um pulo coletivo.

Os 90 minutos de show do Slipknot foram, sem duvida nenhuma, o ponto alto da noite que ainda teve, no palco principal, Faith no More, Mastodon e De La Tierra. Esse último — um supergrupo de metal latino, com Andreas Kisser (Sepultura) na guitarra, o mexicano Alex Gonzaléz (Maná) na bateria e os argentinos Sr. Flávio (Fabulosos Cadillacs) no baixo e Andres Gimenez (A.N.I.M.A.L.) no vocal e também na guitarra — abriu a noite e, apesar do gramado esvaziado, conseguiu animar o público. Com um setlist cheio de composições originais em espanhol, a banda também arriscou um cover de “Polícia” dos Paralamas do Sucesso.

A reação de grande parte do público para o Mastodon e para o Faith No More deixou claro que a maioria estava mesmo era ansiosa para o Slipknot. Isso não impediu ambas as bandas de fazerem shows bons, apesar de que a apresentação do Faith No More foi ofuscada pela queda do vocalista Mike Patton. Ao tentar se jogar na platéia, Patton acabou caindo na fossa que separava o palco da multidão. Apesar do susto, ele se mostrou enormemente profissional e continuou o show até o fim.

No Sunset, o Nightwish fez um show digno de Palco Mundo. Só o Slipknot, a grande atração do palco principal, causou tanta comoção e gritaria na multidão. A banda finlandesa teve o conterrâneo Tony Kakko, vocalista do Sonata Antartica, como convidado especial.

Apesar do Sepultura, figurinha carimbada do Rock in Rio, não ter se apresentado este ano, os integrantes do grupo estiveram bastante presentes no festival. Além de Andreas Kisser aparecendo em duas noites de metal, Derrick Green, o atual vocalista da banda, foi o convidado especial da banda Moonspell no Palco Sunset.

Depois de muita pauleira, hoje o clima muda para o pop. Faltando apenas dois dias para o fim do festival, as grandes atrações de sábado e domingo serão as divas Rihanna e Katy Perry. Fique de olho que amanhã te contamos tudo!