Arquivo da tag: heavy metal

27/09/2015_02:07

por ANDRÉ PEREZ

A noite de ontem confirmou que esse Rock in Rio veio para quebrar recorde de cabeludos, rodinhas e bate-cabeça no gramado do festival. Dos sete dias de festa, nada menos do que três foram dedicados ao rock pesado. E a noite final do metal teve, como principal astro, o Slipknot.

Os mascarados fizeram um show completo, com tudo que uma grande produção tem direito: chuva de confetes, pirotecnia, efeitos especiais e um público histérico e entregue. Um dos momentos mais marcantes foi em “Spit It Out”, quando, do palco, os metaleiros de Iowa conseguiram fazer com que a multidão sentasse no chão e desse um pulo coletivo.

Os 90 minutos de show do Slipknot foram, sem duvida nenhuma, o ponto alto da noite que ainda teve, no palco principal, Faith no More, Mastodon e De La Tierra. Esse último — um supergrupo de metal latino, com Andreas Kisser (Sepultura) na guitarra, o mexicano Alex Gonzaléz (Maná) na bateria e os argentinos Sr. Flávio (Fabulosos Cadillacs) no baixo e Andres Gimenez (A.N.I.M.A.L.) no vocal e também na guitarra — abriu a noite e, apesar do gramado esvaziado, conseguiu animar o público. Com um setlist cheio de composições originais em espanhol, a banda também arriscou um cover de “Polícia” dos Paralamas do Sucesso.

A reação de grande parte do público para o Mastodon e para o Faith No More deixou claro que a maioria estava mesmo era ansiosa para o Slipknot. Isso não impediu ambas as bandas de fazerem shows bons, apesar de que a apresentação do Faith No More foi ofuscada pela queda do vocalista Mike Patton. Ao tentar se jogar na platéia, Patton acabou caindo na fossa que separava o palco da multidão. Apesar do susto, ele se mostrou enormemente profissional e continuou o show até o fim.

No Sunset, o Nightwish fez um show digno de Palco Mundo. Só o Slipknot, a grande atração do palco principal, causou tanta comoção e gritaria na multidão. A banda finlandesa teve o conterrâneo Tony Kakko, vocalista do Sonata Antartica, como convidado especial.

Apesar do Sepultura, figurinha carimbada do Rock in Rio, não ter se apresentado este ano, os integrantes do grupo estiveram bastante presentes no festival. Além de Andreas Kisser aparecendo em duas noites de metal, Derrick Green, o atual vocalista da banda, foi o convidado especial da banda Moonspell no Palco Sunset.

Depois de muita pauleira, hoje o clima muda para o pop. Faltando apenas dois dias para o fim do festival, as grandes atrações de sábado e domingo serão as divas Rihanna e Katy Perry. Fique de olho que amanhã te contamos tudo!

20/09/2015_11:00

por ANDRÉ PEREZ

Nesse sábado, a Cidade do Rock ficou repleta de cabeludos, roupas pretas e coturnos, tanto no palco, quanto na plateia. O tema do dia? Metal, claro. A grande atração foi o Metallica, um dos os maiores ícones do gênero.

Veteranos do Rock in Rio — essa é a terceira apresentação consecutiva deles no festival —, o Metallica teve o show interrompido por cerca de cinco minutos por uma falha técnica. Isso não afetou em nada a empolgação do público ou da banda que, num ato de amor aos fãs, convidou dezenas deles para participar do show de cima do palco

O Palco Mundo abriu com os franceses do Gojira que, apesar de relativamente desconhecidos, conquistaram a multidão com o som pesado e tentativas de falar português. Antecedendo o Metallica, o Mötley Crüe fez um show agridoce para os fãs: a apresentação serviu como uma despedida já que, após a conclusão da atual turnê, a banda irá encerrar as atividades.

A única banda do palco principal a destoar do tema central — o metal — foram os ingleses do Royal Blood. Queridos da crítica e com um hype gigantesco no Reino Unido, onde o CD de estreia deles debutou diretamente no topo, no ano passado, o duo conseguiu animar a multidão apesar do som um pouco mais ameno do que o que a noite parecia demandar.

O Palco Sunset também estava cheio de nomes queridos do rock pesado. A grande atração foi o Korn, que teve facilidade de ganhar o público. Teve também a banda Angra que, ao lado de Dee Snyder e de outros vários convidados especiais, se redimiu da apresentação caótica de 2011 com um show energético e bem recebido. Também se apresentaram os grupo Ministry e Noturnal. O último, alias, protagonizou um dos momentos mais inesperados da noite quando Thiago Bianchi, o vocalista, chamou a sua mãe, Maria Odete, para uma palinha. Odete, que cantou “Woman in chains”, do Tears for Fears, foi ovacionada pelos metaleiros.

No camarote da Pepsi, Rainer Cadete e Agatha Moreira, respectivamente o Visky e a Giovana de “Verdades secretas”, causaram sensação. Ágatha, fanática pelo Metallica, personalizou a gola da sua blusa ELLUS com várias tachinhas Eberle Fashion (um dos nossos apoiadores do meeting point de customização que montamos no Rio Design Barra).

Outros que passaram por lá, e vestiram nossa blusa criada em parceria com a estilista Helô Pinheiro, foram Ana Paula Padrão, apresentadora do “Masterchef”, e Mohamad Hindi (acima), galã da primeira edição do reality de culinária.

Foi um longo dia de bate-cabelo mas hoje poderemos descansar nossos pescoços com o som mais suave de Elton John; Rod Stewart e John Legend. O Sala ELLUS estará lá para te contar tudo.

30/04/2012_17:08

 

Heavy Metal from Riding Pretty.