Arquivo da tag: folk

22/12/2014_09:00

por IGOR FIDALGO

Então é Natal. Mas para temperar a ceia desta quarta com um pouco da sua personalidade, que tal embalar a noite com “Joel, the lump of coal”, novo hit natalino lançado pelo The Killers, banda que a ELLUS ama?

Os roqueiros de Las Vegas lançam singles especiais de fim de ano há nove anos. A estratégia é divulgada com um videoclipe quase sempre de cunho cômico (à exceção dos delicados “Christmas in L.A.” e “Boots”, e do épico “Joseph”).  Já virou um hábito religioso: esteja o vocalista  Brandon Flowers em hiato sabático para tocar a carreira solo ou a banda dedicada a outros projetos, os rapazes do Killers param tudo, compõem e colocam o hit natalino para venda no iTunes.

Interessante é que o projeto ainda tem cunho social: os singles de Natal do Killers fazem parte da RED, ONG capitaneada por Bono Vox e Bobby Shrive que se alia a grandes nomes da indústria de entretenimento para criar produtos cujas rendas são destinadas a programas anti-AIDS na África.

O site da campanha é muito bacana e inspirador, e neste manifesto você pode saber mais sobre a ONG. A intenção de toda a rede de artistas da RED é zerar o número de recém-nascidos infectados com HIV, valor que já caiu de 1.500 (em 2002) para 650 (2013).

Abaixo, uma retrospectiva com os divertidos clipes natalinos dos meninos do deserto, em ordem retroativa.

2014: “JOEL, THE LUMP OF COAL”

A história de Joel, um pedaço de carvão que vivia no Polo Norte e sonhava em se tornar brinquedo de uma criança, ganha edição em forma de colagem, bem parecida com o que vemos nos personagens secundários da animação “South Park”. Mas um Papai Noel sarcástico decide entregar Joel a uma criança malcriada. Por fim, o pedaço de carvão se torna um diamante, fazendo a alegria do menino. 

O apresentador Jimmy Kimmel empresta a voz ao Mal Velhinho, que no vídeo é retratado por um homem de traje vermelho popular e barbas falsas animado com técnica de quadro-a-quadro. Por conta desta participação, o clipe foi lançado no talk-show de Kimmel, com direito a exibição de cenas exclusivas do apresentador no estúdio com o The Killers.

2013:  ”CHRISTMAS IN L.A.”

Owen Wilson vive um ator que tenta se firmar em Los Angeles e, por ainda não ser bem remunerado na profissão, não consegue voltar para a cidade onde nasceu para passar o Natal com seus pais.

A música é o resultado da parceria do The Killers com a banda de folk-rock californiano Dawes. O diretor Kelly Loosi intercala as cenas melancólicas de Wilson (que reproduzem de forma literal as colocações da  letra) com animações produzidas pelos estudantes da Brigham Young University, instituição instalada nos Estados Unidos.

2012: “I FEEL IT IN MY BONES”

É o terceiro clipe de Natal que conta com a participação do músico Ryan Pardey interpretando Papai Noel (ele também está em “Don’t shoot me Santa” e “A great big sled”). Passa durante uma perturbadora noite de sono, onde os integrantes da banda são assombrados por pesadelos com um Bom Velhinho vingativo.

A fotografia lembra os primeiros filmes de Freddy Krueger na série “A hora do pesadelo” (com sombras coloridas e muita fumaça). Destaque também para a criativa direção de arte: Pardey atravessa o deserto em uma moto decorada por chifres de veado e suas armas são chacos em forma de bengalas doces e granadas disfarçadas de bolas natalinas.

2011: “THE COWBOY’S CHRISTMAS BALL”

Enquanto a letra adaptou o poema de 1890 de William Lawrence Chittenden, trocando a ambientação de Texas para Nevada, o clipe ganhou cores de comédia em ritmo de western spaguetti.

Cowboys ladrões tentam assaltar uma cidade do velho-oeste norte-americano, mas são surpreendidos por dois robôs alienígenas (bem no estilo de “O dia em que a Terra parou”, de 1951). Os ciborgues intergalácticos trazem paz ao lugarejo, dançando break com os moradores da cidadezinha.

2010: “BOOTS”

É o clipe mais tocante de toda a tradição natalina do The Killers. A cena de abertura exibe um trecho do filme “A felicidade não se compra”, de 1946, onde o ator George Bail aparece rezando, em close-up. Em seguida, Brad Prowly, artista de rua nova-iorquino que ficou famoso como Super Bad Brad (que se apresenta no Greenwich Village com um rádio estilo boombox), aparece segurando as fotos da família que um dia teve. Parece que o personagem agora é um andarilho urbano, que mora na rua e não tem mais contato com a mulher e com os filhos.

Aos prantos, agarra a fotografia e decide se emprenhar mais nas performances. Investe todo o dinheiro ganho numa diária em itens natalinos comprados em uma loja de 1 dólar. No fim do clipe, volta para casa e reencontra a família, trajando chapéu de Papai Noel com sacolas cheias de enfeites. De chorar.

Coincidência ou não, Brandon Flowers, que lançara o álbum solo “Flamingo” três meses antes da divulgação oficial de “Boots”, aparece sozinho neste vídeo, que tem a melhor fotografia de toda a série de Natal do Killers.

2009: “¡HAPPY BIRTHDAY, GUADALUPE!”

Esqueça o almofadinha Dylan McKay do seriado “Beverly Hills 90210″ (que foi ao ar no Brasil com o sofrível título “Barrados no baile”). Neste vídeo do Killers, Luke Perry vive um cowboy que é casado com uma mexicana, a Guadalupe. Mas toda vez que ele tem que sair pelo deserto a trabalho, é assombrado por pensamentos melancólicos.

O corpo de baile composto por dançarinas com caveiras mexicanas pintadas no rosto lembra o trabalho da videoartista japonesa Sookoon Ang, em cartaz no Palais de Tokyo, em Paris. Vale googar para saber mais.

2008: “JOSEPH, BETTER YOU THAN ME”

Trechos dos 12 episódios da série televisiva “The living Christ”, de 1951, correspondem a 90% do videoclipe, que é complementado com imagens de vitral, árvores de Natal e velas acesas. Não é um clipe que merece ser visto, mas a música, escrita a seis mãos com Elton John e Neil Tennant, do Pet Shop Boys, vale o play.

Se você gosta de um destes dois astros, saiba que eles dividem também os vocais com Brandon Flowers. Oportunidade única de ver os três ícones compartilhando os microfones.

2007: “DON’T SHOOT ME SANTA”

A letra da música retrata um chat entre Papai Noel e um adolescente que começou a matar pessoas depois sofrer bullying na infância. O resultado videográfico é um dos mais hilários clipes do The Killers, que conta novamente com Ryan Pardey vivendo um Papai Noel psicopata que sequestra Brandon Flowers. Parece que eles têm uma visão bem particular em relação ao Bom Velhinho, não?

Ao longo do filme, Pardey começa a cavar um buraco no meio do deserto de Mojave, na Califórnia (onde o clipe foi filmado) para enterrar o líder do The Killers. Flowers é salvo por Dave Keuning, Mark Stoermer e Ronnie Vannucci Jr., os demais integrantes da banda, que surgem disfarçados de arbusto, no maior estilo pastelão Hanna-Barbera.

É uma graça também o teatro de fantoches que inicia o videoclipe, com versões de Flowers e Pardey em bonequinhos, e o figurino da banda nas cenas de estúdio, onde aparecem tocando a música.

2006: “A GREAT BIG SLED”

Em um estúdio, Brandon Flowers é filmado por uma câmera estilo super-8, com filtro antigo. O clipe é intercortado com imagens tradicionais de Natal, onde os rodies do The Killers retiram instrumentos de um caminhão trajando roupa de duendes. Tem até gente vestida de boneco de neve e Brandon aparece sentado no colo de Ryan “Papai Noel” Pardey. Tudo bem avonts, com cara de filme caseiro que registrou os bastidores, sabe como?

A música conta com vocal de apoio de Toni Halliday, vocalista da banda Curve. Ela é mulher de Alan Moulder, produtor da faixa.

21/02/2013_15:41


Amantes do folk e blues, a lenda Andrew Bird está no Brasil. O cantor de Chicago toca seu som melódico cheio de acordes de violinos em três cidades. Corra e compre seu ingresso para não perder o show contagiante do multi instrumentista de voz macia.

Em São Paulo, no Cine Joia: cinejoia.tv/

No Rio, no Teatro Oi Casagrande: oicasagrande.oi.com.br/

Em Floripa, no Teatro Governador Pedro Ivo: www.teatropedroivo.sc.gov.br/

Aperte o play para o single Three White Horses, do seu último álbum, Hands Of Glory:

15/08/2012_07:49

Mayana Moura volta triunfal aos nossos olhos e a cena musical agradece. Ela lança seu álbum homônimo esta semana no Studio SP e em seguida no Studio RJ. Na época da gravação do disco, ela respondeu 6 perguntas para a Sala Ellus. Leia sobre suas inspirações, sobre sua música e saiba mais sobre a parceria entre a Ellus & Mayana.

(na foto ela veste Ellus no estúdio).
Mayana responde 6:
1. Seu ídolo internacional na moda:
Karl Lagarfeld e Mario Testino.
2. Sua banda preferida?
Marilyn Manson & The Spooky Kids, Lou Reed, Françoise Hardy, David Bowie, Annie Lennox (Não sei escolher entre esses).
3. Uma música de inverno e uma música de verão:
Françoise Hardy- Oh Oh Cheri. Verão
Lou Reed- Perfect Day. Inverno.
4. Quem se veste melhor na música?
Marilyn Manson e David Bowie.
5. Qual a personagem de filme mais cool do cinema?
Béatrice Dalle como “Betty Blue” do diretor- Jean Jaques Beineix.
6. Qual o filme da sua vida?
A estrada perdida do David Lynch e O Hotel de um Milhão de Dólares do Wim Wenders. Betty Blue, Um corpo que cai… (são muitos filmes! Pergunta dificil).
____________________________________________________________________________
Mayana modelo, atriz e cantora. Ellus apoia.

Mayana Moura foi modelo internacional, é atriz nacionalmente conhecida e agora lança seu mais novo trabalho artístico, o primeiro CD como cantora.

Quem acompanha de perto os passos de Mayana, sabe que das muitas vocações artísticas que ela possui, a musica sempre se destacou de forma poderosa. Mayana fez parte de bandas e sempre traduziu na sua postura e no seu visual o rock’n’roll.

O EP (Extended Play) é um genuíno trabalho de rock e traduz experiências vividas por Mayana, que ao logo do tempo compôs diversas musicas e criou um estilo próprio de interpretação e presença de palco.  Para esse primeiro trabalho, ela escolheu 5 músicas especiais: Em Bed, Mayana cria uma versão poderosa em inglês da bela cancão Cama de Tatá Aeroplano.  Magnetic é composição própria que mergulha em um clássico rock’n’roll, com influência de blues e levada Old School irresistível. Em Once Said, parceria com o talentosíssimo Helio Flanders – que participa da música – Mayana flerta com o universo indie folk tão em voga.  Negative Three é a homenagem de Mayana a um dos seus ídolos: trata-se de uma versão forte para a música de Marylin Mason de mesmo nome. O EP termina com a balada Kitty Cat, também composição própria que mostra muita versatilidade.

Com uma habilidade impressionante para transitar entre o main stream e o underground, Mayana criou uma sólida relação com o lado mais alternativo do universo musical. O CD tem produção musical de Tatá Aeroplano – celebrado representante da aclamada cena da nova musica brasileira, de Renato Cortez, musico eclético e presente em diversos projetos musicais da noite de São Paulo e do grande guitarrista Edgard Scandurra, que dispensa apresentações. A produção executiva  fica por conta de Ale Youssef – produtor cultural e criador do Studio SP e do Studio RJ, casas responsáveis pelo lançamento de dezenas de artistas dessa nova geração.

O trabalho colaborativo e representativo de uma cena é completado pelos premiados diretores de arte Felipe Cama e Estefânio Holtz, que assinam a arte do EP e pelo festejado fotografo Jorge Bispo que foi responsável pelas fotos do trabalho.

A sinergia entre os trabalhos de Mayana e o mundo da moda, motivaram uma inovadora parceria com a Ellus. Absolutamente conectada com a estética roqueira e com personalidade de Mayana, a marca viabilizou a produção do EP.  A ação, une de forma muito interessante a moda e a música e pode virar referência para financiamento da nova música no Brasil.

O lançamento do EP está previsto para Agosto de 2012 no Studio SP – Baixo Augusta em São Paulo e no Studio RJ – Arpoador no Rio de Janeiro. Está sendo programado também um show em uma das lojas da Ellus para celebrar a bem sucedida parceria.