Arquivo da tag: ellus

20/03/2015_10:00

por VICTOR COLLOR DE MELLO

Fui honrado com um convite e tanto: montar uma lista com meus lugares preferidos em São Paulo para a quarta edição do Jornal ELLUS.

Abaixo, divido com vocês meus endereços.

SIDE: Só a entrada já vale a vista: um ovo mole, um purê por cima e pão. A ideia é comer com o pão, mas eu gosto de comer com colher mesmo. Como prato principal, vale o cordeiro ou a costela. Tudo devidamente acompanhado do melhor negroni da cidade.

CORLEONE: Bruno Van Enck, dono do lugar, está ali todos os dias recebendo cada um que passa por lá. São serviços feitos com muito primor e atenção. Se gosta da boa e velha navalha e todo o lifestyle por trás disso, é um erro deixar de conhecer.

MANÍ: Comida impecável servida de forma que dá fome ao ver o prato chegar à mesa, em que os mínimos detalhes fazem toda a diferença.

Z. DÉLI: Sanduíche de steak tartar fresquinho e feito na hora, com picles, cogumelos, azeite trufado e rúcula. Delicioso e nutritivo!

16/03/2015_10:00

Como você já deve ter lido na Sala, o desfile da ELLUS foi sucesso de crítica. O show virou notícia em todas as revistas de moda do país e a inspiração nas gangues e na cultura de rua conquistou os editores.

Susana Barbosa, diretora da Elle, comentou as inspirações do desfile na quarta edição do Jornal ELLUS (que você já deve ter lido aqui). Agora, é a vez de você ler a opinião de Sylvain Justum, que depois de 2 anos e meio como editor de moda da Harper’s Bazaar, voltou a assumir a editoria de moda da GQ Brasil. O jornalista expõe sua opinião sobre o nosso jeans: a relação da ELLUS com a matéria-prima e o futuro do denim.

Esqueça a ideia de que sua calça jeans serve só para o dia a dia. As novas tendências para o tecido mais versátil do seu guarda-roupa são texturas, lavagens e acabamentos de luxo, que transportam o jeans para um contexto mais chique e elegante. “O homem associa esses jeans mais elaborados para momentos especiais”, explica Justum, editor de moda da GQ.

E esse, com certeza, é o futuro da sua calça jeans.

Para entender a relação que a moda masculina tem com o denim é preciso avaliar a relação cultural do brasileiro com seu guarda-roupa – que é mais casual por natureza e por exigências climáticas.

“Nossa cultura de moda é essencialmente casual, e o jeans acabou ganhando muita importância ao longo dos anos”, conta ele. que considera: “Entretanto, nos últimos anos, a peça ganhou status de luxo”.

Continue lendo a matéria na página 15 do Jornal ELLUS.

13/03/2015_10:00

por EDUARDO DUGOIS

Quem me segue no Instagram, deve ter visto que o meu réveillon no Rio de Janeiro foi histórico. Daí o pessoal da Sala ELLUS me pediu para listar meus cantos preferidos na cidade maravilhosas.

Mesmo que tenha demorado um pouquinho, aviso: o top 3 abaixo merece toda a sua atenção.

Gostei de conhecer restaurantes e bares novos, mas tem dois lugares que, por mais que não seja novidade, precisa entrar neste roteiro: o Braseiro, no Baixo Gávea, e o BB Lanches, no Baixo Leblon (acima). No primeiro, eu destaco a picanha na chapa que compensa qualquer espera. Já na lanchonete do Leblon, eu comi o melhor pastel de carne da vida.

Abaixo, os lugares que você não pode deixar de conhecer quando estiver no Rio.

PIPO: É um dos meus prediletos, do chef Filipe Bronze. O clima do lugar é incrível: remete a um boteco “moderno”, com entradas e pratos ótimos! Não deixe de provar o pastel de carne seca ou de queijo da canastra e o prato “De Panela”, que é um pão de leite com carne desfiada. Delicioso!

LONDRA: Um lugar incrível para quem aprecia uma boa bebida. O clima do bar do hotel Fasano é de festa sempre! Vale muito à pena conhecer.

ESQUINA 111: Outro lugar preferido no Rio. O chef Daniel Simas (comigo, acima) conduz as opções gastronômicas como ninguém. Tudo muito bem feito, ótimos drinques e pratos de se comer rezando. Entre os meu prediletos está o Picadinho <3. Uma dica: chegue cedo para conseguir uma mesa da calçada.

11/03/2015_10:00

A coleção de inverno 2015 da ELLUS, desfilado em novembro na São Paulo Fashion Week, foi destaque nas melhores revistas de moda do País e na quarta edição do Jornal ELLUS. Para completar, pedimos a Susana Barbosa, da revista Elle, dividir conosco suas impressões sobre as inspirações da apresentação.

Susana assumiu o cargo de diretora geral da Elle depois de 10 anos trabalhando na publicação; anteriormente, ela era diretora de moda da revista e, com a mudança, acabou acumulando as duas funções.

Uma das principais características da moda, neste começo de século 21, é que ela não se resume mais às passarelas. Hoje as ruas são tão (ou mais) importantes do que aquilo que se vê nas principais semanas de moda do mundo. É nesse contexto que tribos e gangues urbanas seguem emprestando seus códigos para a alta moda.

Para além do mimetismo literal, estamos falando de peças, silhuetas e dicas de styling para quem quer um pouco das ruas no guarda-roupa do dia a dia. “As pessoas, cada vez mais, se vestem com vários estilos e, muitas vezes, um look pode apresentar várias tribos ao mesmo tempo”, comenta Susana, que ainda completa: “Este é o movimento mais interessante da moda atualmente”.

Atual, mas não exatamente novo. Foi na década de 1990 que Ted Polhemus cunhou o conceito de “supermercado de estilos”. O termo explica que a grande tendência da época (e que continua até hoje) é a mistura de referências diversas — e, muitas vezes, contraditórias — em um só look. “Qual seria o New Look de 2019?” escreveu ele, em seu livro “Streestyle: From sidewalk to catwalk”. Susana responde: “A resposta, é claro, é que não vai existir um”.

Em 1994, Polhemus já explicava que o melhor jeito de se vestir é pegando de cada movimento uma referência, criando, assim, um estilo só seu.

Continue lendo a matéria na página 6 do Jornal ELLUS.

09/03/2015_10:00

por  IGOR FIDALGO

Finalmente, chegou o dia: embora as 25 canções oficiais tenham vazado em fevereiro, o lançamento do novo álbum de Madonna, “Rebel heart”, seguiu a data prevista; começou nessa sexta, com a première europeia, mas a data mundial de estreia é amanhã.

Em uma espécie de aquecimento digital para a chegada do novo disco, a cantora postou uma série de memes na sua conta do Instagram. Em cena, personalidades históricas e irreverentes reproduzindo a capa do projeto, onde a cantora aparece amarrada com um fio preto, tipo um cabo de equipamento sonoro.

Inicialmente criticados por fãs na própria timeline da cantora — Madonna chegou a ser chamada de racista e desrespeitosa — os memes, segundo ela, eram homenagens a “corações rebeldes”. Além de produzir montagens, a pop star também republicou sátiras produzidas por fãs (como no caso da arte abaixo em que a cantora Miley Cyrus aparece manipulada para se encaixar no rosto de “Rebel heart”).

Abaixo, os 11 memes que ficaram na nossa cabeça.

É notável o respeito de Madonna por Miley Cyrus. Depois que participou do “Unplugged MTV” do álbum “Bangerz”  (clique aqui para rever o medley da dupla misturando “Don’t tell me” com “We can’t stop”), a Rainha do Pop passou a publicar fotos da ex-Hannah Montana com declarações juvenis de afeto.

No meme acima, só a legenda chama mais atenção do que a montagem: “Bitch, I love you”.

Não é de hoje também que fãs de Madonna e Lady Gaga se odeiam. A rixa foi amplifica na “MDNA tour”: a popstar sampleou “Born this way”, hit de Gaga, dentro da performance de “Express yourself”, e terminou cantando “She’s not me” (que, em bom português, quer dizer “ela não sou eu”).

Mas postar a imagem acima, dizendo que amava Lady Gaga, fez a gente ficar um pouco confuso.

Até a estátua do Cristo Redentor foi parar no perfil da cantora. Inicialmente postada por Riccardo Tisci, da Givenchy, ela republicou a imagem dizendo que o Cristo foi um dos primeiros “rebel hearts”.

Mona Lisa também ganhou leitura pop…

Michael Jackson foi homenageado por fãs.

“Bob Marley cantava por um único amor”, escreveu Madonna sobre o ícone do reggae. Coincidência ou não, “Rebel heart” traz a primeira incursão da cantora no ritmo jamaicano, a malemolente “Unapologetic bitch”.

Sobrou até para Homer Simpson!

Segundo a Rainha do Pop, o ativista pelos direitos civis, Martin Luther King, foi “um coração rebelde com um sonho”.

Já o líder sul-africano Nelson Mandela foi laureado graças a sua constante luta pelo fim do apartheid.

O artista Jean-Michel Basquiat, uma das mentes criativas que serviu de referência para o inverno 2015 da ELLUS, apareceu logo após as críticas de racismo.

A foto foi usada pela cantora para dizer que ele era admirado por ela e que nenhum dos “rebel hearts” anteriores eram perfeitos, pois eram “humanos, mas, em comum, todos lutavam pela liberdade como guerreiros”. Por isso, inspiraram ela como artista e como pessoa.

Elvis Presley foi homenageado no seu aniversário…

E até a premiação do Grammy virou uma brincadeira com a capa do CD. Foi a forma que a cantora usou para avisar que se apesentaria no evento.

Se você (assim como nós) está obcecado com o lançamento de “Rebel heart” — que, segundo os críticos, promete ser o melhor álbum de Madonna desde “Confessions on a dancefloor” (2005) —, não deixe de seguir a cantora nas redes sociais. Ela, que antigamente só atualizava sua fan page no Facebook com notícias de carreira, tem compartilhado momentos de vida pessoal pelo Twitter, já bateu papo com fãs no Reddit, tem andado no Google Plus e, há um mês, lançou sua conta no Snapchat com o clipe de “Living for love”.

No Instagram, a nova campanha para responder perguntas de fãs pede que sejam gravados vídeos até às 19h de hoje com a hashtag #AskMadonna.

As respostas serão dadas nos comentários dos vídeos dos fãs, pela própria cantora, na tarde desta terça-feira, quando “Rebel heart” estará disponível para o mundo todo — inclusive para download no iTunes.