Arquivo da tag: arte

24/10/2014_16:34

por CLÉO SANTIAGO

Até a próxima quarta-feira, São Paulo abriga a 38ª Mostra Internacional de Cinema, que exibe 330 títulos de diversos países em salas de cinema, museus e espaços culturais espalhados pela cidade. Como já é uma tradição, a mostra retrata o que o cinema contemporâneo está produzindo; as estéticas e as temáticas que traçam um panorama mundial da sétima arte.

Para aproveitar a última semana da mostra, listamos cinco filmes imperdíveis. Boas sessões!

(SÁBADO) “A vida privada dos hipopótamos”: Um americano entediado se muda para a Colômbia para conhecer os hipopótamos que o traficante Pablo Escobar deixou em sua propriedade. Lá ele conhece uma mulher por quem se apaixona e vive um romance conturbado. O que seria facilmente a trama de um filme de ficção é a história de Christopher Kirk, preso em 2009 no Brasil por tráfico internacional de drogas. Obra imperdível da Mostra Brasil! No Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca, às 16h30.

(DOMINGO) “Ninfomaníaca”: As controversas cenas de sexo explícito, acreditem, foram editadas! Para ser distribuído comercialmente, o filme de Lars Von Trier recebeu cortes e foi dividido em dois. Na 38ª Mostra, a versão do diretor é exibida integralmente. No Reserva Cultural, às 21h30.

(SEGUNDA) “Sinfonia de Necrópole”: Na cidade de São Paulo, a rotina do aprendiz de coveiro Deodato muda quando uma nova funcionária chega ao cemitério. Juntos, eles precisam fazer o recadastramento dos túmulos abandonados.  Quanto mais eles mexem nestas covas, acontecimentos esquisitos começam a acontecer, fazendo o coveiro repensar na sua profissão. Você teria coragem? No Espaço Itaú de Cinema, às  16h10.

(QUARTA) ”Cássia”: A lembrança que temos de Cássia Eller é de uma cantora extrovertida — um tanto quanto enlouquecida — e com pleno domínio do palco. Já a imagem que os amigos guardam é a da mulher tímida, alheia aos holofotes e muito ligada à família. O documentário de Paulo Henrique Fontenelle tenta mostrar os dois lados da cantora, que faleceu precocemente em 2001 deixando seu legado para a música brasileira. No CineSala SABESP, às 21h50.

(QUARTA) “Maus hábitos”: A mostra deste ano conta com uma retrospectiva do trabalho do espanhol Pedro de Almodóvar e este filme merece ser visto. Além de ser um dos primeiros filmes do renomado diretor, o longa de 1983 é um de seus maravilhosos deboches sobre a sociedade da época, tendo a Igreja Católica espanhola como personagem principal. No Cine Caixa Belas Artes, às 21h30.

12/09/2014_19:37

por IGOR FIDALGO

No prefácio do guia de obras da 31º Bienal Internacional de Artes de São Paulo, Luis Terepins, presidente da fundação que organiza o evento há mais de seis décadas, escreveu: ”Como falar de coisas que não existem pode parecer, à primeira vista, um tema abstrato”. De tão profunda, a máxima de Terepins nos incita uma contextualização: não seria talvez este o epítome das artes plásticas?  Afinal, os conceitos trabalhados por artistas plásticos só existem a partir da criação da obra.

O título desta edição do evento, que o ocupa o Pavilhão das Artes da Bienal desde o dia 6, é uma provocação. ”Como (…) coisas que não existem” deixa uma lacuna para a ação. Ali, encaixam-se os verbos “encontrar”, “sentir”, “imaginar”, “usar”, “lutar” e “ler”. A performance mutável da expressão insinua a proposta da 31ª Bienal, que prioriza obras (e também artistas e coletivos artísticos) em constante transformação.

A herança modernista, tão forte em outras bienais, é deixada de lado para dar destaque a novas leituras, como a interferência que um tipo de arte assere na cultura local de uma região. A ideia de uma arte mais conectada com as problemáticas do mundo atual promove uma discussão acerca de conflitos, mudanças, transgressões e imaginação. É isto que você verá nas 250 obras que estão expostas até o dia 8 de dezembro.

Oitenta e um artistas foram selecionados para esta bienal e, segundo a curadora Nuria Enguita Mayo, todos eles estão ligados a projetos de arte educativos. Fiquem atentos ao “Programa no Tempo”, série de performances, oficinas, encontros públicos e discussões que acontecerão duas vezes por semana, sempre às quartas- feiras e aos domingos.

Talvez fique mais fácil entender o mundo que nós vivemos com ajuda da 31ª Bienal de Artes. Ou então, pelo menos, teremos exemplos palatáveis de como focar nas coisas que existem.

07/12/2012_16:00

Stephan Doitschinoff, o artista Calma, lança o livro CRAS, em parceria com a Choque Cultural essa semana e promove super eventos no MAM.
Palestra e mesa redonda
Onde . MAM – Museu de Arte Moderna – Parque do Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/n – Portão 3 – Ibirapuera – São Paulo – SP
Quando . 7 de dezembro às 20h
Quanto . Grátis ( 180 vagas, retirar senhas com meia hora de antecedência)
Info . www.mam.org.br

Workshop e encontro com o artista
Onde . MAM – Museu de Arte Moderna – Parque do Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/n – Portão 3 – Ibirapuera – São Paulo – SP
Quando . 8 de dezembro às 15h30
Quanto . Grátis ( 25 vagas, retirar senhas com meia hora de antecedência)
Info . www.mam.org.br

Palestra com Stephan Doitschinoff 
Onde . MAM – Museu de Arte Moderna – Parque do Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/n – Portão 3 – Ibirapuera – São Paulo – SP
Quando . 8 de dezembro às 16h30
Quanto . Grátis ( 180 vagas, retirar senhas com meia hora de antecedência)
Info . www.mam.org.br

 
17/09/2012_17:21

Sempre polêmica, interessante e criativa, a Bienal de SP está em sua 30º edição e o tema desse ano é “A iminência da poética”, que pode ser explicado como o poder do homem de transformar tudo o que vê em uma manifestação artística.

Sem grandes estrelas da arte e focando em artistas desconhecidos, antigos e independentes, a simplicidade tomou conta do prédio do Ibirapuera e as obras de 111 artistas podem ser vistas até dia 9 de dezembro. “Limpa”, “solene” e “sensível” foram adjetivos usados pelo curador venezuelano Luis Pérez- Oramas para defender o minimalismo da exposição, bem diferente das últimas mostras.

30ª BIENAL DE SÃO PAULO
QUANDO ter., qui., sáb. e dom., das 9h às 19h; qua. e sex., das 9h às 22h; de hoje até 9/12
ONDE Fundação Bienal de São Paulo (pq. Ibirapuera, portão 3, www.bienal.org.br)
QUANTO grátis
05/07/2012_11:42

Começou dia 23 de junho na Galeria Mendes Wood, em São Paulo, a mostra com 27 fotografias da artista norte americana Francesa Woodman, tiradas entre 1972 e 1980, um ano antes de sua morte. Misteriosa e forte, Francesca foi símbolo cult nos anos mais criativos de Nova York com seu estilo que misturava classicismo e experimentalismo. Suas fotos em PxB são copiadas até hoje e valem uma visita a galeria. Don’t miss it.

FRANCESCA WOODMAN

Galeria Mendes Wood
Rua da Consolação, 3358
Jardins, São Paulo, Brasil

23 de Junho – 21 de Julho, 2012
Das 14H às 21H