• 11/01/2016_15:00

    null

    O dia amanheceu triste com a notícia de que o lendário ícone do pop, David Bowie, se foi ontem à noite. O astro faleceu apenas dois dias depois do seu aniversário de 69 anos e do lançamento global de seu vigésimo quinto álbum, “Blackstar”.

    Após uma batalha de um ano e meio contra o câncer no fígado, a excêntrica figura adentrou sua espaçonave e retornou ao seu planeta de origem (Marte, segundo a obra “The rise and fall of Ziggy Stardust and the spider from Mars”), deixando para trás nós, terráqueos, com os corações apertados.

    Nascido David Robert Jones, em 1947, o Camaleão do Rock foi um dos músicos mais ilustres dos tempos modernos. Sua passagem por esse mundo deixou um legado cultural que não se limita ao universo musical e, graças à profunda marca que deixou na humanidade, ele continuará vivo dentro de cada um de nós.

    Uma forma de celebrar sua trajetória por aqui são as camisetas da coleção Rock Tees, que possui uma linha dedicada à Bowie. A peça cuja foto recheia essa matéria, com Bowie e o seu indefectível raio em neon, esgotou na tarde desta segunda na Online Store. Mas além do icônico modelo masculino que Lucas Bernadini usa no pé deste post, estão disponíveis modelos para crianças da Ellus Kids, certificando que as próximas gerações cresçam com a influência que a estrela irradiou.

    Clique aqui para comprar este vestido infantil na Online Store

    Clique aqui para comprar esta t-shirt na Online Store

    08/01/2016_22:17

    Ano novo, roupa nova, certo? A gente concorda. A escala de cores da estação, apresentadas na São Paulo Fashion Week de verão, chega ao seu ápice no início de 2016, já que estamos vivendo uma época mais quente do que nunca. Como de costume, a ELLUS remarcou os preços das suas roupas no formato que já se tornou uma tradição: a nossa tão aguardada Sale Progressiva!

    A regra você já sabe: quanto mais compra, mais ganha — podendo chegar a 50% de desconto quando leva cinco ou mais itens. Desta vez, no entanto, vamos exemplificar, em números, o quanto você economiza quando adquire essa cropped tshirt, cuja modelagem e tecido traduzem toda a liberdade do verão, com este chinelo soft rock.

    "

    Se antes você gastava R$ 338, na Sale Progressiva da ELLUS a compra sai por R$ 68 (20% de desconto por conta da compra de dois produtos). Que tal aproveitar a vibe e comprar mais peças? A compra final pode sair pela metade do preço!

    É uma boa ideia investir em peças que contemplem o verão de 2016 pois, ao que parece, ele será longo e tórrido. Ao longo da temporada, vamos publicar uma série de shopping lists para ajudar você a promover um upgrade no seu guarda-roupas. Lembrando que a nossa Sale Progressiva pode ser apreciada em todas as lojas fixas da ELLUS, mas as peças estão à disposição em um clique. Navegue na nossa Online Store! 

    05/01/2016_15:54

    por LUA SARAIVA

    Basta olhar o histórico da ELLUS para saber que é um conceito de nossa comunicação investir em nomes da moda internacional, como Milla Jojovich e Kate Moss, para montar as nossas campanhas. A partir de hoje, vamos relembrar passagens históricas da marca, começando pelo icônico catálogo de moda “Ellus Angels”, que completa 15 anos este mês.

    A expressão, é claro, foi uma referência ao filme “As panteras” (cujo título original é “Charlie’s angels”), que acabara de estrear a primeira refilmagem da franquia. Para o lugar de Cameron Diaz, Drew Barrymore e Luci Liu, foram escaladas três top models brasileiras: Caroline Ribeiro, Mariana Weickert e Talytha Pugliesi.

    Clicado no final do ano 2000, o shooting ganhou ainda mais repercussão com o desfile de primavera/verão 2001 da São Paulo Fashion Week (do que já falamos sobre aqui; foto abaixo). Em momento iconoclasta, as três modelos entravam juntas na passarela vestindo blusas e tops de malha com seus nomes escritos em prateado.

    Na foto de campanha, a parede vermelha contrasta com os looks escuros do trio; criando um paradoxo artístico: quando se fala sobre anjos, costuma-se usar cores celestiais, como azul e branco, não vermelho e preto, uma vez que essas cores são associadas ao pecado. O resultado? Uma mistura de inocência e sensualidade estampando o verão de 2001.

    28/12/2015_10:00

    por LUA SARAIVA

    Em 1964, surgia o primeiro calendário Pirelli em Maiorca, na Espanha. Desde o lançamento, o famoso álbum de colecionador (que chegou a ser vendido em leilões) tem servido como um who-is-who das mulheres mais bonitas do mundo, contendo glamourosas fotos nuas ou seminuas de célebres top models como Juliane Moore, Kate Moss, Cindy Crawford, Gisele Bündchen, Naomi Campbell, Adriana Lima, entre outras deusas gregas.

    Entretanto, como noticiou recentemente o jornal online The New Frame Post, a indústria da moda está se tornando cada vez mais diversificada e inclusiva. Ao invés de trazer modelos convencionais e padronizadas reproduzindo, mais uma vez, as clássicas poses sensuais, a Pirelli investiu em mulheres de verdade para o calendário do ano que vem.

    A renomada fotógrafa americana Annie Leibovitz revolucionou a arte do calendário, contemplando diversas formas de beleza e celebrando a realidade em imagens PB, ao invés de cooperar com o frenesi midiático e social que leva o sexo feminino a sempre acreditar que não é bom o suficiente. Os nomes das mulheres influentes e inspiradas que ilustrarão o projeto de 2016 que vem incluem a ativista Yoko Ono (acima), a roqueira Patti Smith (abaixo), a blogueira Tavi Gevinson (no topo), a comediante Amy Schumer (no pé deste post), a tenista Serena Williams, a modelo Natalia Vodianova, a cineasta Ava DuVernay, a artista irariana Shirin Neshat, a atriz chinesa Yao Chen, a produtora de cinema Kathleen Kennedy, entre outras.

    Annie, que já havia fotografado um calendário de nus para a Pirelli em 2000, revelou que, dessa vez, a empresa veio a ela com o mandato de “fazer algo diferente” e ela sentiu-se mais que honrada em quebrar o molde. “Depois que nós concordamos com a ideia, o objetivo era que fosse muito simples e direto; eu queria que as imagens mostrassem as mulheres exatamente como elas são, sem nenhuma pretensão”, revela a fotógrafa no release oficial do projeto, publicado no site da Pirelli.

    O calendário de 2016 é um marco, pois muda o foco de temática sexual e glorificação do padrão de beleza feminino para nus artísticos de mulheres de vários tamanhos, idades e etnias, cada uma escolhida por ter deixado a sua marca em algum campo, por sua influência e realização cultural, profissional, social, desportiva ou artística. Ficou curioso para conferir o resultado? Clique aqui para ler a reportagem da Paper Mag.

    Parece que 2016 será um ano de desconstruções.

    25/12/2015_10:00

    por ANDRÉ PERZ

    O Natal está aí e nós sabemos que às vezes é difícil entrar no clima. Mas, como Sala ELLUS está aqui para te ajudar, nós trazemos a boa bula: que tal uma supermaratona de filmes com filmes aninhados com a data?

    A seguir, cinco opções nada óbvias (algumas delas, nem nós lembrávamos que eram ambientadas no Natal) de longa-metragens que coadunam roteiro, direção e bonecos de neve. Anote nossas dicas, coloque a pipoca no microondas e aproveite!

    “O NATAL DE CHARLIE BROWN” (1965)

    O nosso amado Minduim e o seu cachorro Snoopy são estrelas de dezenas de filme natalinos mas o mais icônico de todos é, sem duvida, o primeiro. Na animação, Charlie Brown tenta entender a fonte de sua tristeza, que contrasta enormemente com a alegria natalina demonstrada por todos os seus amigos.

    POR QUE VOCÊ DEVE ASSISTIR? Porque apesar de ter sido lançado há 50 anos, a animação contem mensagens superatuais e, nos Estados Unidos, é considerado o maior clássico das festas de fim de ano. Apesar de ser em tese um filme infantil, aborda questões de maneira madura e tocante.

    “GREMLINS” (1984)

    O filme de humor negro narra a história de um jovem que recebe um Mogwai, uma estranha criatura peluda, como presente de Natal. Quando o bicho, que não pode ficar molhado, é encharcado por um copo d’água, começa a se reproduzir em nível assustador e milhares de gremlins começam a aterrorizar Nova York.

    POR QUE VOCÊ DEVE ASSISTIR? Porque é trashy, divertido e assustador na medida e porque nós amamos tudo que vem dos anos 1980. Em termos técnicos, mire na equipe poderosa que aparece nos créditos da fita: Steven Spielberg é o produto executivo e Chris Columbus, diretor de “Esqueçeram de mim” e “Uma babá quase perfeita“, assina o roteiro.

    “BATMAN: O RETORNO” (1992)

    No segundo filme do Batman dirigido por Tim Burton, o herói interpretador por Michael Keaton tem que lidar com o vilão Pinguim (na célebre atuação de Danny Devito). O gangster que foi criado no subsolo de Gotham City está colocando em perigo todo o fornecimento de energia da cidade. Mas é claro que o filme não estaria nesta lista se não fosse pela icônica Mulher Gato de Michelle Pfeiffer.

    POR QUE VOCÊ DEVE ASSISTIR? Porque é uma experiência estética que você precisa ter. Preste atenção nos figurinos, nos cenários e em toda a produção de arte. Além disso, é a melhor Mulher Gato que já ganhou vida nos cinemas, deixando Halle Berry e Anne Hathaway no chinelo.

    “O ESTRANHO MUNDO DE JACK” (1993)

    Neste clássico de stop motion, cada data comemorativa tem seu próprio universo isolado. O longa, também dirigido por Tim Burton, já era conhecido por “Nightmare before christmas” (“O pesadelo antes do Natal”), onde fomos apresentados a Jack quando ele tenta introduzir o conceito de Natal no universo do Halloween.

    POR QUE  VOCÊ DEVE ASSISTIR? Porque, novamente, a estética natalina de Tim Burton é fantástica, mesclando o sombrio com o lúdico. Além disso, o filme é um fenômeno de crítica, com 94% de aprovação no site Rotten Tomatoes.

    “200 CIGARROS” (1999)

    Sem protagonistas, o filme retrata as aventuras e as desventuras dos personagens vividos por Paul Rudd, Ben Affleck, Kate Hudson, Chritina Ricci e Janneane Garofolo a caminho de uma festa de arromba que vai se passar na virada de 1981 para 1982. 

    POR QUE VOCÊ DEVE ASSISTIR? Porque tem Courtney Love no elenco! E a retratação das inseguranças e das neuroses familiares de quem está na casa dos 20 é inerente à passagem das décadas. E sim, claro: é verdade que esse filme não se passa no Natal mas, o Réveillon está quase aí. 

  • Doois Sites e Sistemas