• 11/12/2014_20:22
    9 LIVROS LANÇADOS POR BLOGUEIROS QUE MERECEM A SUA LEITURA

    por ISA TENÓRIO

    Não é novidade a migração do papel para a web. Mas para quem escreve para internet, o processo tem se invertido. Levantando a bandeira do conceito de crossmedia, blogueiras têm levado conteúdos para fora de seus sites e de suas redes sociais.

    Selecionamos nove nomes que, depois de consolidarem na web, têm se aventurado a publicar seus pensamentos no papel.

    ALE GARATTONI

    Alessandra Garattoni foi pioneira no Brasil quando começou a falar das garotas que todo mundo adora prestar atenção. O livro “It Girls — Todos os segredos de uma verdadeira it girl” marcou o fim do blog homônimo com uma publicação de peso. Dividido em seis capítulos que levam o nome das antigas categorias do blog, Ale desvenda os segredos de meninas pra lá de estilosas muito antes de elas registrarem os seus #looksdodia no Instagram.

    A jornalista lista as necessidades básicas para o guarda-roupa de qualquer mulher moderna, decifra o consumo consciente (mesmo quando o seu orçamento é limitado), compartilha dicas de lugares, fala sobre etiqueta e faz até suposições de como Olivia Palermo sobreviveria na grande São Paulo.

    THÁSSIA NAVES

    O manual conta como a autora do Blog da Thássia se tornou uma das garotas mais seguidas do Brasil (até o fechamento deste post, ela acumulava 1,3 milhão de seguidoras). Mas “Look” não é só um livro biográfico: nele, Thássia explica porque decidiu criar o seu blog e revela como foram os primeiros contatos com a indústria da moda.

    Há espaço também para listas de inspirações, roteiros de viagem, truques de beleza, e o que todo mundo adora saber: dicas de como se vestir nas mais variadas situações do dia a dia.

    MATTHEW ZORPAS

    Eleito um dos caras mais estilosos do Reino Unido por anos seguidos, Matthew Zorpas é um cidadão do mundo. Nascido em Chipre, ele se mudou para Londres aos 15 anos  e conhece tudo da cidade. Por isso, teve a ideia de dividir com os leitores do The Gentleman Blogger a sua lista de endereços essenciais na capital inglesa.

    O resultado está no livro “London  100: A gentleman’s guide”, que vem decorado com imagens sensacionais do fotógrafo Adam Tannous — sempre com o blogueiro posando nos seus lugares preferidos. Insight: Figurinha fácil por aqui, Zorpas tem sido muito visto no Rio de Janeiro. Será que vem um “Rio 100″ por aí?

    EMILY SCHUMAN

    Cupcakes and Cashmere é o nome do blog de Emily e também do seu livro de lifestyle. Recheado com algumas das fotos que ela posta no Instagram, a loura americana dá dicas de decoração e de como organizar a sua casa e o seu armário, DIYs e receitas.

    De diferente dos demais títulos do seguimento, destacamos os curiosos ensinamentos que ela repassa, como, por exemplo, o segredo da boa pechincha e o que devemos ficar de olho quando estamos garimpando em feirinhas. 

    LEANDRA MEDINE

    Nós adoramos a blogueira nova-iorquina de humor ácido. Para transpôr o seu blog Man Repeller para as livrarias, ela fez, nada mais, nada menos, do que um livro de memórias.

    Se Leandra ficou famosa dando dicas de como incrementar um look básico até se tornar uma fashionista genuína (e, assim, afastar os homens à sua volta), no livro ela diversifica, indo dos detalhes da sua perda de virgindade à críticas sobre os homens que namorou. Sem falar da história rocambulesca envolvendo à clutch vintage de sua avó. É ler pra crer.

    CRIS GUERRA

    Autoproclamado pela autora um “não manual da moda”, “Moda intuitiva” apela para a auto-estima. Segundo Cris Guerra, precursora na ideia de registrar looks diariamente (quando isto ainda não era um negócio), ninguém precisa se vestir de acordo com o que é considerado tendência.

    No livro, Cris divaga sobre a criação do próprio estilo, dando dicas para o dia a dia com intuito de inspirar e não ditar. Embora ela renegue isto, “Moda intuitiva” também tem um quê de manual, já que a publicitária mineira ensina como montar vários looks com uma mesma peça de roupa, dispensando a necessidade de estar sempre comprando para estar na moda.

    FREDERICO ELBONI

    O paulistano que tem um charmoso sotaque do sul é a referência quando o assunto é relacionamento. Com uma linguagem próxima do espectador, sem clichés, o seu blog Entenda os Homens gerou um canal no YouTube que soma 41 mil inscritos.

    Já o livro de crônicas “Um sorriso ou dois  Para mulheres que querem mais” também ainda abre espaço para contos picantes e para responder dúvidas femininas. Sala Ellus garante: o livro, no mínimo, te fazer dar boas risadas com as tiradas de Fred.

    JANA ROSA

    Sem dúvida, ”Como ter uma vida normal sendo louca” é o livro de autoajuda mais engraçado que já passou pelas nossas mãos. Escrito à quatro mãos por Jana e Camila Fremder (que você já deve ter lido no site da Glamour), compartilham dicas para sair de situações pra lá de estranhas e delicadas.

    Com muito humor, elas ensinam “o que fazer quando o seu amigo fede?”. Para quem segue o Instagram de Jana, sabe que ela divaga sobre as estratégias que as pessoas usam para se tornarem famosas. Por isso, elas dedicam parte de um capítulo aos ensinam,entos de “como parecer legal nas redes sociais”. Com pinta de sátira hipermoderna, as autoras garantem que seus conselhos realmente funcionam.

    CHIARA FERRAGNI

    O site bombator The Blond Salad se tornou um livro ilustrado com os supercurtidos looks da garota italiana que vem sendo aclamada como a mais estilosa da blogosfera. O projeto segue uma diagramação didática: na esquerda, um look clicado para o seu Instagram e à direita dicas de moda trabalhadas no look.

    Pode não ter muita novidade em termos de conteúdo, mas Chiara é um case de popularidade que vale ser acompanhado de perto.

    18/11/2014_16:08
    5 REVISTAS GRINGAS QUE VÃO TE ENCANTAR

    por CLÉO SANTIAGO

    Inspirados por essa lista de revistas que rolou aqui na Sala Ellus, elegemos cinco publicações gringas que estão revolucionando o jornalismo de moda e comportamento.

    Os textos são minimalistas e as imagens cuidadosamente produzidas, dignas de qualquer table book. A seleção é simplesmente imperdível para quem tem fome de beleza.

    WONDERLAND: a publicação é, provavelmente, a mais popular dentro desta nova safra. Já posaram para sua capa ícones da cultura pop, como Emma Watson e Mariah Carey, assim como perfis cool representados por Sky Ferreira e Katie Price. Suas covers, aliás, são sempre marcantes.

    OH COMELY: a britânica deve ser reconhecida por fugir do óbvio. Ela não pretende criar nenhum desejo de consumo de tendências, fortalecer ou desconstruir padrões de beleza. Na verdade, a Oh Comely quer despertar potenciais criativos, incentivando a libertação da imaginação através das fotos incríveis de seus colaboradores.

    INDIE: como o próprio nome sugere, a Indie Magazine se destaca por seu estilo bem característico. Além de coloridos e bem cuidados editoriais de moda alternativa, a revista põe em evidência artistas da cena independente, sejam eles músicos, fotógrafos ou pintores. Seu papel neste cenário já é demarcado.

    LOVE: a publicação bienal produzida pela Condé Nast leva a assinatura de vários jornalistas de revistas supertradicionais que desejavam sair um pouco da zona de conforto. Não à toa Kate Moss e Lea T já estrelaram suas edições, assim como a polêmica Beth Ditto, completamente nua. Cada edição é sempre muito aguardada.

    UNDER THE INFLUENCE: uma das pioneiras desta revolucionária linha editorial, a UTI existe desde 2008 de forma totalmente independente. Fora das rédeas dos veículos de massa, a revista apresenta assuntos como estilo, arte e comportamento sem nenhum tipo de censura. A revista pode – e deve! – se tornar um objeto atemporal, que visa a estética refinada acima de qualquer tendência efêmera.

    14/11/2014_17:38
    EFEITO MATTE PARA OS HOMENS. DA AXE

    Nos bastidores do desfile de inverno 2015 da ELLUS, na última edição do SPFW, a gente experimentou a primeira linha de hairstyling da Axe. A Axe Matte Effect tem seis produtos — quatro modeladores e dois texturizadores — desenvolvidos para os cabelos masculinos. E acaba de chegar a drogarias de São Paulo, Rio e Minas.

    A linha não exige muita habilidade dos homens. Além de práticos, os produtos têm acabamento matte, garantido pela adição de Kaolin, um mineral natural que absorve o óleo da pele.

    http://ellus.com/salaellus/wp-content/uploads/2014/11/sala-ellus-21.jpg

    Os modeladores da Axe Matte Effect variam de fixação e aplicação. Para os cabelos curtos e médios, a marca recomenda a fibra de estruturação ultra forte, para um look arrumado, ou a pomada, para um messy hair. Para todos os comprimentos, há o spray finalizador e a pasta, de fixação intermediária.

    Os texturizadores são uma cera em bastão, indicada para ajeitar os fios e montar um penteado polido, e o salt spray, velho conhecido das mulheres que, agora, começa a ganhar cabeças masculinas. O produto dá volume e textura natural aos fios.

    http://ellus.com/salaellus/wp-content/uploads/2014/11/sala-ellus-5.jpg

    http://ellus.com/salaellus/wp-content/uploads/2014/11/sala-ellus-4.jpg

    Para inspirar e ensinar o passo a passo de estilos, a Axe lançou um novo site, em que mostra sugestões para todos os tipos de cabelos. Acesse aqui para dar um tapa no visual e comprar a nova linha.

    http://ellus.com/salaellus/wp-content/uploads/2014/11/sala-ellus-32.png

    10/10/2014_14:47
    CONHEÇA CINCO REVISTAS QUE REINVENTARAM O JORNALISMO DE MODA

    por CLÉO SANTIAGO

    Como você leu aqui na Sala ELLUS, a primeira edição da “Fort” foi lançada em agosto. A revista que Kleber Matheus, diretor de arte das campanhas das ELLUS, idealizou com os fotógrafos Cássia Tabatini e Fabio da Motta tem projeto gráfico minimalista e acompanha uma nova era de publicações de moda e comportamento.

    É tudo bem diferente das revistas tradicionais. Com textos sucintos e predominância de fotos muito bem dirigidas, estas revistas são o reflexo de um mundo contemporâneo bombardeado por informações. Pois às vezes, tudo o que precisamos é ter tempo para parar, apreciar boas imagens e ler algumas pílulas de notícias.

    Inspirados pelo lançamento da Fort, listamos as outras cinco revistas escritas em português que seguem este novo formato editorial. Bom apetite!

    made in brazil

    MADE IN BRAZIL: Editada por Juliano Corbetta — cabeça do blog homônimo — a Made in Brazil Magazine já está na sua terceira edição.

    O destaque é o espaço dado a novos modelos brasileiros. A publicação é recheada de fotos superssexies.

    romeu mag

    ROMEU MAG: Para um público formado predominantemente por homens, a Romeu Mag se apresenta como fonte de inspiração visual para o conceito da imagem masculina.

    Conta com a colaboração de vários artistas visuais para garantir sua estética irretocável. A revista tem edições bimestrais e, a cada seis meses, publica seu melhor no material impresso, também digno de um lugar na biblioteca pessoal.

    dsction

    DSECTION: A publicação portuguesa tem visto o seu sucesso crescer internacionalmente.

    Seu grande objetivo é se tornar colecionável, uma obra para se ter na biblioteca pessoal. Todo o cuidado no processo editorial não é pouco: é fundamental.

    THE MARK MAG: A atriz Julia Almeida ficou famosa por atuar em inúmeras novelas do pai, o novelista Manoel Carlos. Mas foi em 2012 que ela decidiu focar na moda, com a criação da revista eletrônica The Mark Magazine. Ano passado, Julia imprimiu a sua bem bolada curadoria de moda, arte e música em uma publicação de veia editorial punk.

    Na The Mark Mag impressa, viagem, gastronomia e sexo intermediavam ensaios de moda belíssimos com colunas assinadas por Fernando Torquatto, Jorge Wakabara, Alessandra Colasanti, entre outros.

    what about mag

    WHAT ABOUT MAG: Uma revista com conteúdo autoral que transita entre moda, música, gastronomia e outras expressões artísticas.

    Seu conceito é atemporal e, mesmo assim, bem contemporâneo. Mais uma publicação que fica incrível na estante!

    12/09/2014_19:37
    31ª BIENAL DE SÃO PAULO FOCA NAS COISAS QUE EXISTEM

    por IGOR FIDALGO

    No prefácio do guia de obras da 31º Bienal Internacional de Artes de São Paulo, Luis Terepins, presidente da fundação que organiza o evento há mais de seis décadas, escreveu: ”Como falar de coisas que não existem pode parecer, à primeira vista, um tema abstrato”. De tão profunda, a máxima de Terepins nos incita uma contextualização: não seria talvez este o epítome das artes plásticas?  Afinal, os conceitos trabalhados por artistas plásticos só existem a partir da criação da obra.

    O título desta edição do evento, que o ocupa o Pavilhão das Artes da Bienal desde o dia 6, é uma provocação. ”Como (…) coisas que não existem” deixa uma lacuna para a ação. Ali, encaixam-se os verbos “encontrar”, “sentir”, “imaginar”, “usar”, “lutar” e “ler”. A performance mutável da expressão insinua a proposta da 31ª Bienal, que prioriza obras (e também artistas e coletivos artísticos) em constante transformação.

    A herança modernista, tão forte em outras bienais, é deixada de lado para dar destaque a novas leituras, como a interferência que um tipo de arte assere na cultura local de uma região. A ideia de uma arte mais conectada com as problemáticas do mundo atual promove uma discussão acerca de conflitos, mudanças, transgressões e imaginação. É isto que você verá nas 250 obras que estão expostas até o dia 8 de dezembro.

    Oitenta e um artistas foram selecionados para esta bienal e, segundo a curadora Nuria Enguita Mayo, todos eles estão ligados a projetos de arte educativos. Fiquem atentos ao “Programa no Tempo”, série de performances, oficinas, encontros públicos e discussões que acontecerão duas vezes por semana, sempre às quartas- feiras e aos domingos.

    Talvez fique mais fácil entender o mundo que nós vivemos com ajuda da 31ª Bienal de Artes. Ou então, pelo menos, teremos exemplos palatáveis de como focar nas coisas que existem.

  • Doois Sites e Sistemas