• 16/05/2016_09:00
    CONHEÇA A DARKWAVE GIRL ABRA

    Se há uma figura que se destacou no vasto ecossistema da gravadora Awful Records em 2015, essa é Abra, jovem inglesa com raízes em Atlanta, que encantou o universo do R&B com sua voz sensual, capacidade de mesclar estilos modernos a antigos, e abordagem íntima para com o mundo das adolescentes de hoje.

    Abra, ou Dark Wave Duchess, como é conhecida pelos fãs no Instagram, Twitter e Soundcloud, escreve sua própria música, canta e produz independentemente. “O nome Darkwave Duchess representa o meu desejo de não ter medo do lado negro, que é o meu lado vulnerável, escondido do mundo e que vem à tona antes de dormir”, declarou ela à iD Magazine.

    Suas letras atrevidas e lascivas, que tratam de suas experiências, são provavelmente a melhor parte de sua música, o que comprova que seu dom é criar. Desde que se associou ao coletivo da Awful Records, em 2014, tem lançado uma série de singles que mostra como seu charme à la 1990 contempla a estética inovadora que a empreendedora visa transmitir.

    A inglesa é uma das novas artistas com perspectivas mais empolgantes no R&B contemporâneo, por conta de sua expressividade. Como a maioria dos novos artistas de rhythm and blues, Abra sabe fazer uma boa mistura de sons, deixando-se influenciar por diferentes estilos e gêneros, fundindo seus vocais sussurrados com batidas viciantes, como evidencia sua faixa “Sick Girl”.

    Seu estúdio ainda é o closet da casa dos seus pais, um mundo de experimentações off-key, e ela entende excepcionalmente o que as outras pessoas da sua geração sentem. “Eu sinto que a minha geração se esconde, num mundo de profunda emoção e pensamentos, por trás de tweets ambíguos, textos, emojis, e outros recursos digitais que debilitam nossas expressões humanas físicas”, revelou à iD. “Nós não dizemos o que sentimos por medo de rejeição ou de parecer muito intenso ou necessitado”.

    Suas performances, carregadas de expressão física nos videoclipes, parecem ser uma forma de comunicar essa ideia, assim como seus inúmeros acessórios esportivos, que propõem que vivamos mais na realidade, em sincronia com nossos corpos. Abra vem com todo esse conceito forte, sem deixar de ser estilosa e representando a atitude das cool Tumblr girls da década. Mas mantém um mistério: sua idade. Quantos anos será que ela tem?

    04/03/2016_19:20
    SAIBA COMO FOI A FESTA DE LANÇAMENTO DA ELLUS

    Há algo de diferente na Ellus da Oscar Freire: além da empena que exibe Carol Trentini com um visual esportivo e inovador, ontem, a flagship da marca de jeanswear recebeu um time de fashionistas e editores de moda para festejar seu novo momento.

    O coquetel foi uma parceria da Ellus com a Adidas Originals para celebrar o lançamento da coleção de Inverno 16 da Ellus, a esperada #ELLUSSportdeluxe. A mesma contará com dois modelos inéditos do tênis Tubular Defiant, linha hit da Adidas.

    O evento contou com a presença marcante de rostos como os de Thiago Boavida, Daniel Carvalho, Pedro Nart, Vitor Souza, Pamela dos Santos, Mateus Vedelho, Shantal Abreu, Luiz Monteiro, Sergio Amaral, Flavia Cavasotti, Ketherin Kaffka, Fabio Queiroz, Eduardo Fritsch, Eduardo Dugois, Eduardo Bravin, Thiago Fortes, Deborah Falci, Danilo Fonseca, Dani Goldim, Chico Durso, Camila Finn, Beatriz Biscaro, Augusto Mariotti e Juliana Jabour. Dizem as boas línguas que a festa after, no Chez Oscar, tornou a noite memorável.

    09/10/2015_10:00
    EDITOR’S PICK: RICARDO CRUZ DIZ O QUE USARIA DA COLEÇÃO DE VERÃO 2016 DA ELLUS

    do JORNAL ELLUS

    A revista de lifestyle GQ é a publicação mais influente do mundo quando o assunto é comportamento e moda masculina. Depois de mais de cinco décadas de sucesso nos EUA e no Reino Unido, a publicação ganhou versão brasileira em 2011. O escolhido para comandar a publicação foi Ricardo Cruz, um respeitado jornalista que encapsula todas as características de um homem GQ: entendedor de música, vinhos, carros e moda, ele é estiloso, elegante e bastante antenado.

    O diretor de redação arranjou um tempo em seu atarefado dia a dia para conversar com o Jornal ELLUS sobre os itens que não podem faltar em seu guarda-roupa.

    “Sou fã de jaquetas de couro — todo homem deveria ter! Esta trucker tem um corte moderno e pode ir bem inclusive em situações mais formais, com camisa, gravata e um jeans mais curto, sem meias ou com meias coloridas. É um clássico contemporâneo.”

    “Gosto muito dos cortes das camisetas da ELLUS — nem compridas, nem curtas, mas exatas. E desta imagem do Keith (somos íntimos, mas ele não sabe), que foi feita durante um ensaio dos Stones na Suécia em 1970 pelo Jan Persson, é um ícone da história da fotografia de rock.”

    “Sou um cara que coleciona as camisetas de banda que usei durante a vida toda. E o Bowie, claro, é um clássico. Esta foto, de 1975, do Steven Schapiro, é do shooting para a contracapa do “Station to Station”, álbum lançado em 1976. Acho que no vinil original era um pôster, que existe numa das muitas versões especiais do disco nos últimos anos.”

    “O couro é sempre um must e acho que faz parte do DNA da ELLUS. Para viagens curtas, ou como bagagem de mão, o tamanho dela é ideal. E, claro, é megaestilosa.”

    08/10/2015_10:00
    MÔNICA SALGADO E ADRIANA BECHARA BATEM PAPO FRANCO SOBRE MODA E JEANS

    Mônica Salgado e Adriana Bechara, respectivamente diretora de redação e diretora de moda da revista Glamour, bateram um papo com o Jornal ELLUS sobre moda e, claro, muito jeans.

    Adriana Bechara: “Pessoalmente, eu sempre tive muita dificuldade em usar jeans, porque meu jeito de vestir é um pouco mais formal. Mas agora que estou ficando um pouco mais velha, estou questionando isso, porque acho que é uma maneira de quebrar a austeridade, de dar um twist no look e deixá-lo mais jovem.”

    Mônica Salgado: Eu, pelo contrário, sempre gostei muito de jeans no meu armário. Aliás, sempre amei jeans branco, que é uma peça meio tricky, mas que está voltando a ser cool (adoro jeans branco com moletom ou com uma camiseta podrinha). Na verdade, gosto de todos os tipos de jeans, não tenho preconceito — de cintura alta, de cintura baixa, mais boyfriend… Gosto de todos! E hoje, o jeans vem sendo protagonista nas últimas estações. Ele deixou de ser um complemento puro e simples e assume posição de destaque.

    Mônica Salgado

    AB:<

    07/10/2015_10:00
    OS SEGREDOS DO ROYAL MANSOUR

    do JORNAL ELLUS

    Imagine chegar no aeroporto e não ter que se preocupar com fila na imigração, recolhimento de bagagem, nem qualquer outra preocupação com alfândega. Ah: também imagine não precisar de filas para táxi ou qualquer outro meio de transporte rumo a seu destino final.

    Todos esses passos, sempre algo inconveniente, são resolvidos, rapidamente, por aqueles que estão ali para receber e servir da melhor e mais sofisticada maneira possível. É assim que começa a estadia num dos hotéis mais luxuosos e incensados de todo o mundo: o Royal Mansour, em Marrakech, no Marrocos.

    O hotel, visto acima na ilustração de Filipe Jardim, fica escondido por trás das muralhas da cidade e também de suas próprias, numa área que soma 3,5 hectares. A ideia é que seja uma espécie de medina-dentro-da-medina. Assim, entre passagens amplas, jardins exuberantes de palmeiras e fontes, encontram-se os 53 quartos, ou melhor, riads (tradicionais casas marroquinas), cada um com uma decoração individual, dois mordomos e servidos por meio de uma rede de túneis subterrâneos para a máxima privacidade dos hóspedes.

    Lá, além de pelo menos um quarto, uma sala, um pátio e um amplo terraço no último andar, salas de jantar para quem preferir (ou seria ousar) não frequentar um dos três restaurantes do estabelecimento — La Grande Table Française (considerado o melhor restaurante francês na África), Grande Table Marocaine e La Table, todos supervisionados pelo Chef Yannick Alléno (do restaurante com três estrelas Michelin no Le Meurice, em Paris).

  • Doois Sites e Sistemas