Arquivo do Autor: admin

27/11/2014_20:19

por CLÉO SANTIAGO

O fim de semana está chegando e a Sala Ellus separou uma lista com o que você simplesmente não pode perder se estiver nas cidades de Rio de Janeiro ou São Paulo. Vem ver:

No Rio de Janeiro…

 

Festival Multiplicidade –  Rola até dia 29 a 10′ edição do festival que ocupa com arte e tecnologia todo o espaço da Escola de Artes Visuais Parque Lage e da Fundação Planetário. O evento contará com mesas redondas, exposições e manifestações artísticas imperdíveis. Destaque, nesta sexta, para a festa comandada pelos franceses Dj Set e DJ Da Cat, a partir de 23h.

Wobble, na Cave – Na sua última edição do ano, a festa Wobble, que toca dubstep e trap, trará o Dj e produtor canadense Lunice. Não perca: neste sábado, dia 29/11, a partir de 23h na Cave, boate subterrânea escondida na rua Francisco Otaviano, 20, em Copacabana.

Em São Paulo…

Open Beco, na Beco 203 - Sábado é dia de encerrar o mês e começar a comemorar as festas de fim de ano e as férias de verão. Uma festa open bar é o que precisamos: a Open Beco vai tocar bastante indie e rock, neste sábado, dia 29/11.

Alberta #3 – A casa, que toca rock, soul, jazz e eletro, acabou de reabrir e você precisa dar uma passada por lá. O nome da boate subterrânea é uma homenagem a Bob Dylan, que lançou em 1970 duas canções chamadas “Alberta #1” e “Alberta #2”. Endereço certo!

E aí, qual balada que você não pode perder?

26/11/2014_17:00

Debbie Harry ganhou um livro para contar todas as suas histórias, e não foram poucas. Como boa roqueira, a líder do Blondie viveu bem, e as imagens de “Negative: Me, Blondie, and the advent of Punk” mostram isso. Chris Stein, seu ex-namorado e companheiro de banda, é quem assina texto e fotos.

Debbie conheceu Chris quando cantava no grupo The Stilettos. Viu Chris na plateia e, pronto, tudo começou. Os dois fizeram muita coisa boa juntos, músicas como “Call me” e “Atomic”. E, agora, o livro mostra a intimidade do casal, a punk Debbie cozinhando entre outras cenas de bastidores.

David Bowie, David Byrne também aparecem na publicação, assim como vários nomes da música, mas são de Debbie as melhores imagens: a cumplicidade entre fotógrafo e fotografada é única. Fora toda a trajetória punk.

As fotos ganharam exposição em Londres este mês, na Somerset House, mas o livro por si só vale a pena, é uma viagem. Pra apreciar ouvindo Blondie.

 

25/11/2014_13:42

O cinza é considerado o novo preto, o tom neutro da vez. É o normcore: a cor permite brincar com os detalhes da roupa e com os acessórios, dando espaço para a imaginação

 

O normcore trouxe a volta aos básicos, mas básicos reinventados: texturas aconchegantes que abraçam a pele, modelagens confortáveis e descomplicadas.

O estilo vai do dia à noite. A sandália de couro arremata o look. Com salto blocker, o sapato traz o conforto combinado ao toque rocker característico das produções da ELLUS. Os  recortes a laser deixam o couro com aparência leve, pronto para o verão.

 

24/11/2014_20:00

por ALEXIA CHLAMTAC

A segunda edição do Popload Festival, uma extensão do Popload GIG, vai rolar nos próximos dias 28 e 29 de novembro, em dois palcos do Audio Club, na Barra Funda, aqui em São Paulo.

No primeiro dia, o evento oferece uma noite dedicada ao indie-rock psicodélico, com Tame Impala, Pond, Cat Power, Olugbenga, Icona Pop, os brasileiros Fatnotronic, Boogarins e Rodrigo Amarante no palco.

 

Já o segundo dia, sábado (29), tem mistura de folk-rock e intervenções eletrônicas. The Lumineers, Metronomy, 2ManyDJS e os brasileiros Marcelo Jeneci, MIXHELL e Nepal estão no line-up.

Para quem mora em São Paulo, podemos dizer que o evento já começou: sete pôsteres criados por artistas brasileiros, com inspiração em bandas do festival, estão em exibição na estação Paraíso, do metrô. Os artistas utilizaram técnicas como pintura, desenho, fotografia e design gráfico. A mostra fica em cartaz até o fim do mês, durante o horário de funcionamento da estação.

No Brasil, os shows da marca Popload, que envolvem o Popload Festival e o Popload GIG, são pioneiros em estimular a cultura do GIG Poster: cada show conta com uma loja onde o fã pode comprar uma obra de arte produzida especialmente para aquela apresentação. O objetivo é democratizar o acesso à arte e comemorar o sucesso do festival.

20/11/2014_20:00

por CAROLINA MENDES

A diretora de criação Adriana Bozon visitou três museus de arte contemporânea recentemente, e a Sala Ellus foi lá no seu instagram para saber o que não pode deixar de ser visto em cada um deles. Programe-se para visitar já!

1. Fundação Serralves

O museu fica no Porto, em Portugal, e é um dos mais notórios quando o assunto é arte contemporânea. A obra “Double Exposure”, de Dan Graham, é um pavilhão triangular de vidro que se pode entrar. O lado exterior é espelhado em duas das faces. Na terceira foi aplicada uma transparência a cores que reproduz a imagem da paisagem ao redor fotografada ao anoitecer num dia de primavera. Só entrando para saber o que se passa.

2. Guggenheim

Adriana também passou pelo Guggenheim de Bilbao, no País Basco. O projeto arquitetônico de Frank Gehry, por si só, já é arte pura, e o mega cachorro de flores do lado de fora, o Puppy de Jeff Koons, é ponto mundial de selfies. Dentro, não perca as instalações e esculturas de Richard Serra. (É impossível perder, mas só pra reforçar.)

3. Perez Museum

O museu é a nova sensação de Miami. Inaugurado em 2013 com projeto assinado pelo escritório de arquitetura premiado Herzog & De Meuron, ele tem obras de Roy Lichtenstein e, agora, uma exposição de Beatriz Milhazes. É o destino artsy do momento.