• 22/10/2015_17:44

    Com atletas de Le Parkour, skatistas e Karol Konka, o desfile de Inverno 2016 da ELLUS, que apresentou a coleção Sport DLX, foi um grandioso espetáculo que serviu como uma injeção de energia na São Paulo Fashion Week. E, entre os principais editores de moda do país, que prestigiaram tudo direto da Fila A, a repercussão não poderia ter sido mais positiva.

    Luigi Torre, da Harper’s Bazaar, elogiou as “peças prontas para vida real, em cores e estampas vibrantes, mas que não deixam de lado sua faceta mais luxuosa”. Já Eduardo Viveiros, do Chic, afirmou que a idéia de destacar o sportswear combina perfeitamente com a identidade da ELLUS e elogiou a habilidade da nossa equipe de estar sempre antenada.

    Para o editor de moda do blog de Lilian Pacce, Jorge Wakabara, o ponto alto foram os tecidos e texturas da coleção. “Não faltam telas vazadas nem elásticos, que dão acabamento pra maioria dos looks com a logomania bombando”, destacou ele.

    Editora do FFW, Camila Yahn, pontuou que, mesmo com o look mais despojado, o lado sofisticado da ELLUS “se faz presente com alfaiataria, materiais trabalhados, acabamentos e uma riqueza de cores, que vai do preto aos vibrantes vermelho e amarelo, e tecidos, do veludo ao couro metalizado”. Sobre as referências aos anos 90, afirmou que a década é “muito rica e inspiradora pra moda”. Para Yahn, o casting foi mais um ponto alto. Além de Trentini, o desfile contou com vários rostos em ascenção como Ari Westphall, Alissa Salls, Ariane Norbel e Jamilly.

    21/10/2015_15:44

    Na noite de ontem, no desfile de Inverno 2016 da ELLUS, a união da moda e do esporte rendeu frutos na forma da nova coleção Sport DLX. Aberto e fechado pela top Carol Trentini, os looks trouxeram tecidos típico do sportswear, itens em colaboração com a Adidas e muitas estampas e referências do fim dos anos 90 e do comecinho dos anos 2000. A espetacular apresentação ainda contou com skatistas, atletas de Le Parkour e finalizou com Karol Conká embalando a Bienal ao som de “Tombou“. Uma conclusão apropriada para um desfile que tombou o São Paulo Fashion Week.

    Confira todos os looks:






















    19/10/2015_19:16

    As redes sociais são dominadas pelas musas do fitness. O crossfit, o boxe e o ioga são assuntos da mesa de bar. Os sneakers tomam conta das passarelas e das ruas mais badaladas das principais cidades do mundo. É oficial: o esporte — e o sportswear — é tendência.

    Por um lado, é uma questão prática. A correria do século 21 exige um certo nível de conforto. Por outro, claro, é a reinvenção da moda: tudo que passou, volta. E, no caso, o ressurgimento da moda dos anos 90 — bem mais casual e despojada — propulsou o retorno do look esportivo nas principais grifes mundo afora.

    E a ELLUS não fica atrás. Para a Coleção Inverno 2016, a grife trás todo um repertório esportivo que informa modelagens e materiais traduzidos em roupas que aliam conforto e praticidade à atitude rocker da marca. Nesse novo cenário, o Jogging Denim (peça híbrida de jeans com moletom) assume posição. Ganha ainda versão colorida, batizada de Jogging Color e serve de base para toda a coleção.

    E para reforçar ainda mais a conexão com os esportes, a ELLUS se junta à Adidas para o lançamento exclusivo do “Tubular Runner“. Além deles, botas e bolsas inspiradas em atividades como corrida, boxe e parkour também completam o guarda-roupa dinâmico e atual ao qual a ELLUS se alinha nesta estação.

    16/10/2015_18:29

    por ANDRÉ PEREZ

    O primeiro contato de Ana Teresa Bello com a fotografia foi, nas palavras dela, durante aquele período da juventude “em que a gente faz de tudo”. Entre aulas de jazz, natação e inglês, ela iniciou um curso de foto que a divertiu e distraiu durante algum tempo. Mas, apesar do gosto pela coisa, a vida a levou para outros caminhos e Ana se tornou uma bem sucedida designer de interiores. A carreira possibilitou que ela vivesse entre o Rio de Janeiro, sua cidade natal, e São Paulo, cidade pelo qual é apaixonada e contribuiu para que ela apurasse sua visão estética e seu apego por detalhes.

    Nada mais natural então que Ana reencontrasse a fotografia e transformasse o antigo flerte em paixão. Nesta terça, dia 20 de outubro, o resultado deste reencontro ganha novos tons com a inauguração na Galeria Vilanova (Rua Domingos Leme, 73 – Vila Nova Conceição) de sua primeira exposição: “Somos Memória”, que fica em cartaz até 14 de novembro, foi montada com imagens clicadas ao longo de uma viagem de um mês pelo Japão

    Com a câmera na mão, Ana Teresa cruzou o mundo com o objetivo de registrar Tóquio, Osaka, Quioto e as ilhas da Naoshima e Hakone de maneira única, sem clichês, de modo a capturar com fidelidade não apenas a cultura local, mas também os sentimentos universais que nos unem. O resultado está exposto em 15 fotos, divididas em quatro séries.

    Inspirada pelo silêncio das grandes cidades japonesas, que contrasta com a expectativa de um país acelerado e de grandes multidões, a neo fotógrafa produziu imagens que transmitem momentos de paz e contemplação em meio ao caos característico de uma grande metrópole. O resultado é a série “Respiro e silêncio”.

    A curiosidade acerca do Japão — e as possibilidades de descobertas — eram tantas que Ana desejou não dormir para não perder nada. Mas, em vez da opção radical, optou por acordar o mais cedo possível para fotografar Shibuya, um dos distritos centrais mais movimentados do país (e do  mundo) ao nascer do sol, antes de milhares de pessoas ocuparem suas calçadas e cruzarem suas ruas.

    Na série “Arquitetura da luz”, ela registrou o colorido e movimentado centro de Tóquio, conhecido pela fartura de luzes neon e outdoors, em preto e branco, no silêncio do amanhecer. Já em “A solidão de cada um”, Ana tentou capturar breves momentos cotidianos de transeuntes que, num país enormemente uniforme e igualitário, se destacavam por estar, cada um à sua maneira, fora do padrão.

    Pequenos desvios do olhar” é a série mais abstrata. Nas imagens, a fotógrafa faz um jogo com superfícies, texturas e luzes que incentiva um olhar interpretativo sobre a desordem retratada.

    De certa maneira, a abstração ali é quase que uma metáfora para a experiência de um estrangeiro no Japão. Percebe-se que o mundo é o mesmo que nós conhecemos e habitamos, mas que se mostra de uma maneira inteiramente estranha e nova. 

    16/10/2015_11:47

    por MARAYSA FIGUEIREDO

    Vimos ontem que a história da ELLUS e do SPFW estão mais que ligadas: desde o início do evento, a ELLUS esteve presente. Lá se vão 21 anos de muita moda e parceria. Hoje vamos relembrar como foram verões e invernos de 2008 até hoje.

    Pegue seu lencinho, pois emoção não falta nessa “sessão nostalgia”:


    Muito rock e esporte para celebrar o verão de 2008. A parka aparece como a peça queridinha da estação. Já no inverno do mesmo ano, a estação Julio Prestes recebeu a coleção, com direito a chegada das modelos em trem com buzina e tudo. O  tema de “Urban Knights” e as sobreposições marcaram o desfile.

    O fundo do mar inspirou o verão de 2009 e de repente a sala de desfile virou um aquário para receber a coleção “Underwater”. Os modelos Grabiel Grandi, Jéssica Brandi e Kelly nadavam felizes no aquário de 12 metros de altura, 2 metros de profundidade e 2 metros de largura.

    Agyness Deyn deu as boas vindas ao nosso inverno, que teve como tema os operários dos subúrbios londrinos. O couro foi o destaque desta coleção.

     Motoqueiros usando jeans de lavagem clarinha e vestidos com shapes fluidos, que eram acompanhados por jaquetas cropped deram o tom do verão 2010, que teve Cintia Dicker exibindo toda a sua ruivisse na passarela. Já o inverno contou com a presença de Jesus Luz, abusando em tons escuros, na coleção que recebeu o nome de “proteção”.

    O verão 2011 veio bem no mood praiano: tinha crochê, estampas, tudo muito confortável, com direito a alpargatas coloridas. Prints florais para eles foram o  ponto alto. O jeans, claro, não foi esquecido e deu o ar da graça em camisas. Novidades mil no inverno 2011: nada de modelos e passarela. No lugar, um projetor e um telão, onde toda a coleção passou diante dos olhos de jornalistas, como um sessão de cinema. Urbana, a coleção veio em tons de branco, prata e preto, provando que a modernidade batia à porta.

    No verão 2012 teve Aline Weber, teve banda e muita festa! Tons claros se integravam ao streetwear que é parte do nosso DNA. Já o inverno foi de rock e couro, cheio de detalhes onde Aline Weber mais uma vez arrebentou!

    Um mergulho noturno no verão 2013 para a coleção “Night Diving”, onde efeitos metalizados aparecem até no couro. No inverno, clima fetichista  no tema “Police”, que tinha transparências, fendas, botas e uma algema moderna, com corrente ligando o pescoço ao pulso.

    Uma viagem de moto pela Índia foi a inspiração para o verão 2014, onde os tons terrosos apareciam em sedas e organzas metalizadas. A top Lindsey Wixson abriu o desfile com uma das estampas queridinhas da coleção: um floral camuflado que deu o que falar.

    Diretamente do Salão Nobre do Theatro Municipal, a nossa diretora criativa Adriana Bozon tinha um desafio: apresentar o jeans de uma maneira nova. A inspiração eram os esportes de montanha, o guarda-roupa clássico do lenhador e Japão, principalmente o jeans bruto característico dos japoneses. Assim foi o inverno 2014!

    No verão 2015, que teve Cauã Reymond na passarela, a mistura de materiais como o natural e o sintético, o artesanal e o industrial foram o ponto de partida para a coleção sportswear. O inverno 2015 comemorou nossos 42 aninhos e a inspiração foi o filme “The Warriors” e as gangues de rua. Preto, branco, cinza, verde limão (que  apareceu nos desejado coturnos!), pink, dourado e caramelo foram as cores da estação, que tinha até patchwork de pele de cobra.

    Chegamos ao verão 2016 com Marrakech como pano de fundo para uma mulher contemporânea, que viaja e traz absorvidas em si todas as culturas que conhece. O Marrocos fez com que a passarela se transformasse em tapeçaria e as peças apareceram cobertas de ouro e areia, cores principais da coleção, que teve Carol Trentini como musa.

    Não foi uma delícia relembrar todos esses momentos da trajetória da Ellus no SPFW?Agora que a sessão nostalgia acabou, preparem seus casaquinhos, pois o inverno vem ai… O que será que ele nos aguarda? Confira em breve no Sala Ellus tudo sobre a próxima coleção.

  • Doois Sites e Sistemas