• 29/08/2014_18:47

    por ANA FLÁVIA

    aromas

    A sua casa também merece um banho de estilo. Prova disto, é o lançamento da nova linha de aromas que a ELLUS acabou de lançar. Batizada com o ano de fundação da marca, a 1972 tem o perfume rock ‘n’ roll que sempre foi a tônica da grife.

    O conteúdo é um sopro refrescante de liberdade: as notas de bergamota, vetiver, carvalho e patchouli se equilibram, gerando saídas de aromas amadeirados que, ao mesmo tempo, refrescam o ambiente com poucas borrifadas.

    Quem já experimentou, conceitua que o aroma traduz a atmosfera dos festivais de rock dos anos 1970. Mas como? Sabe aquela alegria que você sente quando se emociona na frente de um palco? Você pula na grama, decorando o ambiente com um cheiro orgânico e natural, e, quando o sol está quente, há ainda aquele impacto da água que é usada para refrescar o público com chão quente.

    Alguns dizem que isto é perfume de piscina, de verão. Como entendemos de desejo, nós arriscamos dizer que isto é cheiro de liberdade e satisfação. Não à toa, as embalagens da linha de aromas é inspirada em vidros de elixires vintage, daqueles que só vemos em farmácia antigas. 

    Se empolgou? Nós também! Então saiba que o aroma da 1972 está disponível para a casa, para o carro e como água de passar roupa. Mais: as velas aromáticas vão dar um  punch urbano na decoração da sua casa.

    28/08/2014_11:44

    por ANA FLAVIA

    Hipster: \hip-sturn\n . Hipsters are a subculture of men and women typically in their 20′s and 30′s that value independent thinking, counter-culture, progressive politics, an appreciation of art and indie-rock, creativity, intelligence, and witty banter. 

    Na definição do Urban Dictionary, hipsters são aqueles que sempre foram jovens. Ligados à efervescente contracultura dos anos 1960 e 70, criaram um estilo próprio de comportamento e um estilo de vida que traduzia um pensamento independente, ideias progressistas e o apreço por indie rock e arte contemporânea, além de um certo fetiche por perspicácia (os hipsters representam a redenção dos nerds, saiba disso).

    hipster 1

    Mas hoje, o que significa ser hipster? Para alguns, é um elogio; para outros, soa pejorativo. O termo foi tão difundido na cultura pop atual que nem os próprios hispters querem mais ser chamados assim. Estarão eles em decadência? Segundo as agências que pesquisam tendências, eles estão sim. O The Guardian publicou uma matéria definitiva sobre o assunto, onde dizia que ”o hipster deixa de ser hipster a partir do momento que é chamado assim”. Segundo a repórter Morwenna Ferrier, a palavra passa a não ter o mesmo significado.

    Não é porque você curte barba, é afeito a camisaria xadrez, não tem medo de uma calça estampada, calça sapatos sem meias e sempre tem um livro sobre cinema neozelandês guardado na sua sacola de couro ecológico, que você necessariamente é um hipster. Você pode gostar de tudo isso, mas não se encaixar na definição adaptada do termo. Porém, para uma esmagadora maioria, se estes são alguns de seus hábitos você vai ser encaixado neste estereótipo. Não há rota de fuga!

    hipster 2

    Como muitos movimentos, o hipster se transformou em uma paródia de si mesmo. Os jovens dos anos 2000, também conhecidos como geração millenium, adaptaram culturalmente a ideia dos hipster originais. A música que antes era considerada indie, agora tornou-se extremamente comercial. E por mais que você não esteja imbuído do fundamento da subcultura, você pode roubar a aparência de um hipster de verdade. E virar um.

    Confuso? Vamos falar de moda então. O que a morte dos hipsters influencia no jeito que você se veste? Provavelmente, nada. As roupas estilosas que eles adoram, sua atitude cool, a rebeldia natural e uma incessante busca por conhecimento são inerentes aos tempos atuais. A nossa dica é sempre se aprofundar no que você gosta e no que você vê.

    Não basta usar camiseta de banda de rock sem conhecer as músicas. Não basta ter um livro em casa só pra ornar a decoração e atrair muitos likes no Instagram. Se jogue na referência: descubra mais sobre o input cultural e artístico que te emociona. Seja punk, rock ou hip, seja original.

    26/08/2014_19:15

    por MARIANA BUARQUE

    A coleção de verão 2014-2015 da ELLUS acaba de chegar às lojas de todo o país e na nossa Online Store. Nesta temporada, nosso olhar foi para um Brasil jovem e urbano, que foge dos clichês e obviedades. O resultado é um conjunto prático em que o natural e o sintético, o artesanal e o industrial, a tradição e a modernidade se fundem.

    Tecidos e materiais ganham ares tecnológicos: o jacquard se transforma em ráfia, a cetim ganha textura de crocodilo e a renda se plastifica. Na estamparia, a bandeira nacional e os estados brasileiros recebem releitura gráfica.

    A brasilidade também esteve presente no desfile da ELLUS no São Paulo Fashion Week, que teve cenografia assinada por Maurício Ianês e trilha sonora de Caetano Veloso interpretada pela bateria da escola de samba paulistana Vai-Vai.

    O ator Cauã Reymond é a estrela da campanha deste verão, ao lado das tops Lais Ribeiro e Lea T. Ele abriu o desfile no SPFW e, entre uma entrevista e outra no backstage, conversou um pouco com a gente sobre seu trabalho, estilo e hobbies.

    O top fotógrafo Marcelo Krasicilc assina a campanha, que tem dois ensaios — Cauã e Lais em uma casa incrível no Joá, no Rio de Janeiro, e Lea T no topo do Edifício Eiffel, construção de Oscar Niemeyer que é símbolo de São Paulo.

    O jeans, carro-chefe da ELLUS, é a base da coleção, dessa vez com proporções amplas e lavagens claras que remetem a um streetwear supercool.

    Segundo Adriana Bozon, nossa diretora de criação, a temporada reflete uma atitude atual do vestir, em que a praticidade é palavra de ordem, mas sem jamais perder a inspiração e sofisticação.

    Giovanni Frasson, o diretor de moda da Vogue Brasil, teve acesso às araras do desfile, onde pôde ver em primeira mão a coleção. Confira o que ele fala sobre as peças e o jeans.

    No styling, acessórios carregados de elementos do sportswear trazem a tal versatilidade que a coleção tanto fala. Mochilas,bonés, bolsas com corrente de bicicleta, tênis e uma nova versão do já icônico coturno ELLUS estão nesse guarda-roupa funcional.

    Deu mais curiosidade de ver essa coleção, não é mesmo? Antes de passar na ellus.com, assista o nosso lookbook videográfico.

    22/08/2014_19:03

    por ANA FLÁVIA

    Você já ouviu falar na Kiss & Fly? É um night club nova-iorquino, que atrai jet setters do mundo inteiro desde 2007, quando foi inaugurado em Manhattan. Quem já foi, diz que o sound system deles é imbatível. E saiba que neste fim de semana toda a trupe da Kiss & Fly vai aportar no centro histórico de Salvador.

    A DJ Aninha, residente do templo de e-music mais badalado de Santa Catarina (o Warung Beach Club), vai  dividir as picapes com uma turma fervida, entre eles AJ Perez, Eduardo Sampaio, Gustavo Kelsch e Lowers.dj aninha

    Para os soteropolitanos, a balada já começou. Nessa quinta, a ELLUS do Iguatemi Salvador montou um get together ao som dos DJs One Two Duck para apresentar sugestões de looks black & white (o dress code da festa) para quem vai aproveitar a noite de música eletrônica.

    Se você não vive em Salvador, atenção: ainda dá tempo de tempo! A festa rola amanhã, a partir das 23h, no Hotel Pestana Convento do Carmos. Nas quatro lojas ELLUS localizadas na Bahia, ainda tem ingressos.festa

    21/08/2014_19:03

    por ANA FLÁVIA

    Referência em pesquisa de moda, a Casa Juisi abriga um acervo de 35 mil peças. Você pode não estar lembrando, mas, na inauguração do instituto, em 2011, a ELLUS montou exposição de peças vintage confeccionadas com a nossa principal materia-prima. Se o coração de vocês, denim lovers, bateu mais forte relembrando esta ação, saiba que a Casa tem uma grande notícia para artistas e estudantes de moda.

    A Casa Juisi funciona em um casarão que data de 1890 no Centro Histórico de São Paulo, próximo ao Museu da Marquesa de Santos, a Casa Anchieta e a Casa da Imagem. Junto a ela, funciona a galeria de arte experimental Phosphorus, que está com programa de residência artística aberto. Despesas de transporte e moradia, além da bolsa de R$ 5 mil, serão pagas pela Casa Juisi. Para se inscrever, acesso o site deles clicando aqui.

    O objetivo da residência  é valorizar o capital imaterial que cada artista tem, oferecendo possibilidades de compartilhamento de produção de conhecimento. Em tese, isso vai ser feito por meio de reflexões e pela vivência de produzir arte dentro de um acervo de moda vintage durante dois meses.

    Some isto tudo ao ambiente contextual e social que pulsam no centro da capital paulistana — região que é, para os artistas, um solo fértil para criação e desenvolvimento de suas experimentações poéticas.

    Curtiu? Então, atualize o seu portfólio e se inscreva! Eles recebem trabalhos até o dia 30 de agosto.

  • Doois Sites e Sistemas