• 29/08/2013_20:31
    PAINEL DE INSPIRAÇÃO VERÃO 2014
    UMA ROAD TRIP PELA ÍNDIA , SEUS MISTÉRIOS, SUAS CORES E SUAS ESPECIARIAS.
    AS IMAGENS QUE INSPIRARAM NOSSOS CRIADORES.

    29/08/2013_19:13

    Play para a festa mais incrível do SPFW Verão 2014.

    Após o desfile rolou um after no Cine Joia que sacudiu os modernos e antenados da cidade e do mundo todo! Relembre como foi!

    29/08/2013_19:12

    Que ele é um dos maiores e mais importantes chefs do planeta você já sabe. Que ele é um punk rocker apaixonado por Elvis Presley e eleito uma das mais pessoas mais influentes do mundo pela revista Time, você também já sabe. Que ele tem milhões de tatuagens, todo mundo sabe. O que este blog tem o prazer de anunciar é que Alex fundou um Instituto, fruto de suas andancas pelo mundo e pelas experiências pela floresta Amazônica, sua grande paixão e inspiração para a culinária. O Instituto Atá, que conta com parceiros e amigos na empreitada, tem no seu horizonte a descoberta de novos métodos de produção de alimentos onde a cultura local e os pequenos produtores sejam os protagonistas, viabilizando assim um novo jeito de se pensar sobre sustentabilidade. Com olhos apontados para o Brasil, suas raízes, seu povo e seu futuro, Alex vai além do mito que se criou em volta dele.

    Saiba mais aqui: /www.institutoata.org.br/

    Alex, que viveu anos na Europa trabalhando como Dj, antes de virar chef famoso, sempre correu atrás de música e pedimos umas dicas pra ele.

    -Alex, quais os álbuns definitivos do punk rock no mundo e no Brasil?

    O álbum punk internacional que mudou minha vida foi o The Clash de 1977. Também amo Stiff Little Fingers. No Brasil, a coletânea SUB de bandas brasileiras lançada em 83 foi muito importante para o movimento. E Ramones, claro.

    -E qual sua música preferida do Elvis?

    Suspicious Mind, sempre!

     

    Foto do chef por Carol Krieger.

    Foto dos discos preferidos do chef: Gettyimages

    29/08/2013_18:16

    UI! Sim, estivemos com a poderosa editora de moda Regina Guerreiro, uma das maiores e melhores jornalistas que este país já teve e tem. Amamos Regina desde sempre, por criticar e elogiar moda como ninguém, e sempre falar o que pensa, sem medo de amarras com nenhum setor da industria têxtil e do mundo fashion.

    Regina, que mora em apartamento lúdico e espetacular, nos recebeu para uma tarde de conversa e memórias a aproveitou pra mostrar fotos e textos incríveis dos desfiles da Ellus que cobriu nos anos 90 e 2000 quando ela era editora da Caras Modas. Roubamos algumas fotos com sua autorização, então play na galeria pra ver e sentir o clima de uma matéria de moda editada por Regina Guerreiro.

    REGINA (por Luigi Torres)

    “Nós não conseguimos parar de repetir, estamos mais lembrando do que imaginando”, afirmou uma das maiores autoridades em moda no país, Regina Guerreiro, nas quase 2 horas que passamos em sua casa, em São Paulo.

    Para quem não a conhece, ela foi uma das pioneiras do jornalismo de moda no país e, sem dúvida, uma das principais editoras do assunto. Passou 14 anos editando e dirigindo a Vogue Brasil, mais 9 na Elle, além de já ter estagiado na Harper’s Bazaar, aberto uma agência de moda, e morado em Nova York e em Paris.

    Com tanto conhecimento e experiência, quando Regina fala todos escutam. E com muita atenção. Foi assim que a ouvimos falar em como a moda anda mais se reciclando do que criando. Como nossa geração carece de uma assinatura de estilo mais autoral, como aquelas que marcaram os punks e os grunges (dois movimentos em processo intenso de reciclagem), e como temos no jeans a peça-chave dos nossos tempos.

    “É a verdade da nossa época”, exalta ela. “Mas não podemos sentar e deixar morrer o glamour”, ressalta. “Somos uma humanidade que usa jeans e camiseta, sou super a favor, mas acho que cada um tem que personalizar isso do seu jeito.”

    E já que tocamos no assunto, natural falar de Ellus. A grife foi uma das primeiras e mais importante marca desse segmento aqui no Brasil, lá nos idos anos 1980. Durante nossa conversa-entrevista, perguntamos para Regina quais foram os momento mais memoráveis que ela vivenciou ao nosso lado. Afinal, como ela mesmo disse, “eu tenho o direito de lembrar, a moda não, mas eu tenho!”

    De cara, sua primeira resposta foi nosso catálogo com a supermodelo Cindy Crawford, para o qual ela prestou consultoria. “Foi bem no auge da carreira dela e uma das primeiras vezes que uma modelo internacional veio fazer campanha para uma marca nacional!”. Outras campanhas que conquistaram seu coração foram as com a modelo Alek Wek, fotografada na Chapada dos Guimarães, e com Agyness Deyn.

    Outro momento que não sai de sua cabeça foi um desfile de 2001, todo composto por jeans em tons bem lavados e com a modelo Marina Dias, quem Regina diz ser o retrato daquela geração da virada do milênio. Ah, o desfile, aliás, foi parar na capa da revista Caras Moda, editada por ela até meados dos anos 2000.

    E dessa mais recente coleção que você confere nas páginas desse jornal, Regina elege as re-interpretações e reconstruções em cima da base da jaqueta perfecto como seu momento favorito. “É a parte mais inteligente da Ellus, e algo que o Rodolfo esta fazendo muito bem.”

     

    29/08/2013_16:25

    Mais uma vez, o produtor inglês Nick Graham Smith produziu a trilha do nosso desfile. O tema Space Route, uma viagem de moto pela Índia e países do oriente, inspirou Rodolfo Souza, nosso estilista, a escolher Led Zepellin, rock psicodélico e com cara de road trip e o synth pop industrial de Light Asylum. Nick elegeu Kashmir, uma das músicas mais importantes do Led Zepellin, de 1975, e mixou com o dark de Light Azylum. O resultado ficou a cara da Ellus e de uma aventura pela rota das especiarias.

    Play e boa viagem.

  • Doois Sites e Sistemas