• 03/09/2015_11:43

    Vem direto de Marrakech, cidade do Marrocos que deságua o lado mais exótico da cultura muçulmana, a magia da nossa nova coleção de verão 2015. 

    Instalada entre o deserto do Saara e da África, onde os termômetros passam longe dos 40° graus, a cidade foi uma intensa inspiração criativa para criarmos para a estação mais quente do ano.

    Este movimento globetrotter começou em fevereiro, quando Adriana Bozon e a sua equipe de estilo seguiram rumo ao norte da África.

    Encantados com os Tuaregs e com os Berberes, trouxeram referências étnicas e tribais para o nosso verão, cujas principais tendências, como de costume, são desfiadas no Jornal ELLUS (que chega à sua quinta edição; rufem os tambores darboukas, merci beaucoup).

    Como bem escreve a nossa diretora de criação no editorial que aparece na página 4, o foco da mulher ELLUS nesta estação é reproduzir uma sofisticação viajante. E quem melhor do que a top Carol Trentini, musa da ELLUS há boas temporadas, para personificar esta mulher do mundo? 

    Junto com ela, Cauã Reymond, rosto da ELLUStrês coleções. Clicada novamente por Marcelo Krasilcic — nosso parceiro de longa data que, dentre outras campanhas, fotografou Cauã na Joatinga no verão passado e a atriz americana Chloë Sevigny em 2007 —, Marrakech Journey contou com o styling de Michael Vendola e beleza de Robert Estevão.

    Se você quer mais detalhes das roupas, pense nas construções marroquinas em tons de rosa ocre  (vem daí o apelido de “cidade-vermelha”), passando pelos majestosos Jardin Majorelle (da onde vem o mood azul de parte da nossa coleção) e desemboque nos souks, mercados com uma diversidade sem fim de produtos regionalistas.

    A exuberância do oriente aparece no prints metalizados que deixaram nossas t-shirts ainda mais cheias de bossa. Aplicações folheadas em tons de ouro refinam a peça que é o uniforme do dia a dia de qualquer mulher viajada — seja ela baseada em São Paulo, Nova York, Paris ou Marrakech.  Nos acessórios, destaque para o tressê de leather denim em sandálias e bolsas.

    [

    A ELLUS Limited, linha que reproduz comercialmente as peças de desfile que mais atraíram suspiros na passarela, prioriza seda, couro e chamois, tudo fazendo alusão às amarrações e às placas metalizadas que fazem a fama fashion dos berberes.

    Presentes em tops e saias de seda, torções estratégicas fazem referência aos nós de turbantes desta mesma tribo, mantendo uma constante memória étnica nos itens cosmopolitas e refinados da linha limitada. Para arrematar, pulseiras feitas com correntes grossas e demais acessórios com gizos.

    Lembra o final apolínico do desfile da São Paulo Fashion Week? A apresentação integralmente feminina foi concluída com uma horda de modelos barbudos trajando looks em total camel.

    Está explicado: o grand finale foi idealizado para valorizar a renovação da Ellus Jogging Denim, a calça mezzo jeans, mezzo moletom lançada no inverno passado que agora chega em tons de caqui.

    Não espere mais: carimbe o seu passaporte para a nossa Marrakesh Journey acessando agora a Online Store da ELLUS. E entenda ainda mais sobre o processo criativo para conceituação desta coleção assistindo ao making of acima.

    Não se preocupe se for acometido por uma necessidade de viajar urgentemente ou consumir imediatamente. Desejos devem ser vividos sem culpa, sem medo e sem jet lag. E este é mais um ponto de convergência entre a ELLUS e Marrakesh.

    31/08/2015_10:00

    por IGOR FIDALGO E LUA SARAIVA

    Com a estreia de “Homem-Formiga” nos cinemas, uma antiga pergunta que os fãs de quadrinhos vêm se fazendo foi respondida: por que um dos heróis mais populares da Marvel, que vem a ser um dos principais fundadores dos Vingadores, não aparece no filme seminal de 2012? O motivo era ululante: a história de Hank Pym, o genial cientista que inventou um traje que miniaturiza qualquer pessoa que o veste, merecia ser contada a contento.

    Para o filme que acaba de entrar em cartaz, Michael Douglas ficou com o papel de Pym, mas o foco da história é Scott Lang, ladrão recém-saído da prisão e que é procurado pelo cientista para assumir a sua persona heróica. Protagonizado pelo ator cult Paul Rudd (de “Clueless – Patricinhas de Beverly Hills”, de 1995, e “As vantagens de ser invisível”, de 2012), os efeitos fantásticos de “Homem Formiga” funcionam como uma versão 2015 de “Querida, encolhi as crianças” (1989) mas, o que vale mesmo, é ver o aparecimento em tela grande da épica Vespa (personagem igualmente importante da Marvel, também fundadora dos Vingadores).

    Mulher de Hank Pym, a heroína com asas de libélula morreu em uma operação de guerra mas o cientista passou anos aperfeiçoando o seu traje e tudo indica que a Evangeline Lilly (a eterna Kate, de “Lost”), filha da Vespa original, vai assumir o papel da mãe na continuação de “Homem-Formiga”.

    Inspirados pela mais nova adaptação da Marvel, vamos relembrar os primeiros dez filmes de cada herói que não sai da nossa cabeça. Segura o fôlego.

    “X-MEN” (2000)

    Os quadrinhos de X-Men geraram uma indústria de personagens mutantes e sua primeira versão cinematográfica deu vida a essas legiões, dando forma e se tornando um clássico de sci-fi. O longa é emocionante e a visão circunspecta do inventivo Bryan Singer contribuiu para que o filme superasse as expectativas dos fãs.

    A variedade de efeitos especiais simultâneos não permite que o telespectador fique entediado e o roteiro é inteligente e significante. As performances são excelentes, especialmente a de Patrick Stewart, que nunca deixa de demonstrar a paz e o autocontrole que o Professor Charles Xavier sempre se esforçou em manter. Classificado como “o ideal platônico dos filmes baseados em quadrinhos”, a qualidade é considerada tão exímia pelos críticos que até quem não é fã dos HQs corre o risco de se tornar um grande admirador.

    “HOMEM ARANHA” (2002)

    O primeiro da franquia que balançou com o emocional de qualquer fã dos HQ’ da Marvel. Apesar do formato do filme ser bastante convencional, sobra espaço para surpresas e inputs artísticos. Quem não lembra da cena da morte do tio Ben, da luta lendária com o Duende Verde ou do famoso beijo de cabeça para baixo protagonizado pelo aracnídeo e Mary Jane Watson?

    “Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades” foi a frase ícone do filme e nós dizemos que Toby Maguire deu conta do recado. A versão emo do repórter fotográfico no filme de 2007, quando ele foi dominado pelo alienígena Venom, também merece ser lembrada.

    “DEMOLIDOR” (2003)

    Foi Ben Affleck quem deu vida à primeira versão de um dos personagens mais populares da Marvel Comics. O herói cego, que já ganhou uma segunda adaptação (está no ar a série “Daredevil” no NetFlix), surgiu na tela grande em um thriller de ação que ganhou ainda mais força por conta de sua fotografia obscura.

    Para contar a história do advogado que, de noite, se torna um justiceiro que luta e salta por conta de sentidos aguçados, o diretor e roteirista Mark Steven Johnson apostou em ingredientes clássicos: uniforme e direção de arte a la Batman e lutas no estilo “Matrix”.

    “O QUARTETO FANTÁSTICO” (2005)

    A extravagante adaptação para a tela da mais longa série de quadrinhos da Marvel é uma lufada de ar fresco. A natureza charmosa da produção de Tim Story lhe confere um toque despretensioso, concedendo à obra uma qualidade flutuante entre as sequências de ação.

    Mas é preciso ser sincero: nem o papel de psicopata nefasto de Julian McMahon, o Dr. Doom, salvou a franquia que foi a segunda tentativa de adaptação para a tela grande (a primeira, de 1994, foi direto para a televisão).

    “HULK” (2003)

    A versão posterior a esta aventura explosiva, que teve como estrela o prolífico Edward Norton (que viveu o rebelde Jack, de “O clube da luta”) em 2008, contou com orçamento milionário de 150 milhões de dólares e, ainda assim, não conquistou uma reputação superior a adaptação de Ang Lee.

    A edição magistral de Timothy Squyres, similar ao design de um comic book, transmite uma declaração visual digna de nota. A sua determinação em explorar a profundidade do dilema interior de Hulk também é surpreendente. O filme começa lento, com um desenvolvimento admirável dos personagens, em especial ao Dr. Bruce Banner interpretado por Eric Bana.

    “HOMEM DE FERRO” (2008)

    À exceção do Wolverine de Hugh Jackman, nenhum outro ator hollywoodiano se enquadrou tão bem em um personagem da Marvel como Robert Downey Jr. e o seu Homem de Ferro. Arrogando e irônico como dizem Downey Jr. ser na vida real, Tony Stark foi como um presente para ator, dado aos severos problemas públicos que nutriu em relação a álcool e drogas, e cuja carreira andava meio moribunda.

    Além desta espinha dorsal canastrona do protagonista, a produtora de casting, Sarah Finn, acertou em cheio na escolha de Gwyneth Paltrow para viver a secretária Pepper Potts. Que, de tão dedicada, acaba se casando com o bilionário excêntrico. 

    “WOLVERINE” (2009)

    Agressiva e voraz, a película com foco no personagem mais colérico de X-Men é repleta de aventura. O espetáculo de efeitos especiais só não é mais cativante do que o desempenho de Hugh Jackman como o mutante que, além dos sentidos aguçados e do fator de cura, tem garras feitas com o metal mais resistente do mundo, o adamantium.

    Ponto também para a performance dinâmica de Liev Schreiber como Dentes de Sabre (que nunca foi irmão de Logan nos quadrinhos, fique sabendo disso), e para a direção carregada de uma poética destruidora de Gavin Hood.

    “THOR” (2011)

    Produzido com integridade e paixão, e adaptado com o bom humor dos quadrinhos, esta versão tem uma pegada Blockbuster de verão. Temperando seu script com sagacidade e apenas uma pequena dose de romance, a fantasia épica de Kenneth Branagh é interessante particularmente pelos personagens dúbios.

    O herói principal é vivido pelo charmoso (e grandão) Chris Hemsworth e o longa ganha um peso Shakespeariano com a exploração de temas como rivalidade entre irmãos, emoções epopeicas e um conflito edipiano.

    “CAPITÃO AMERICA” (2011)

    Se fãs xiitas defendem o filme de de baixo orçamento de 1990, por conta de uma suposta fidelidade ao HQ, Chris Evans (que já tinha experimentado a dor e a delícia de ser um herói da Marvel quando deu vida ao Tocha Humana em “Quarteto fantástico”) lavou a nossa alma. A trama ambientada em 1942 mostra como o franzino Steve Rogers conseguiu se tornar a cobaia viva para um projeto que transformava homens comuns em superssoldados durante a Segunda Guerra Mundial.

    E se os tais fãs saudosistas adoravam o Caveira Vermelha tosco de Scott Paulin, o conceito foi ressignificado com o versão nazista de Hugo Weaving, a eterna drag sentimental de “Priscila – a Rainha do deserto”. 

    “VINGADORES” (2012)

    É fascinante como Joss Whedon conduz as relações dos personagens de Vingadores, que inclui performances impecáveis de superestrelas como Robert Downey Jr., Chris Evans e Scarlett Johansson. As performances marciais e os sorrisos de canto de boca da atriz encarnada de Viúva Negra, inclusive, é algo que deve-se prestar bastante atenção.

    Administrando interações orgânicas com sucesso, o diretor se certificou de que cada um dos personagens fosse verdadeiro e trouxesse sua personalidade (a partir de seu respectivo filme) à mesa. Observando como histórias em quadrinhos remontam a década de 1960, pode-se dizer que ele não apenas fez sua lição de casa, mas se preocupou profundamente com a sua contribuição em um legado.

    28/08/2015_17:59

    por MARAYSA FIGUEIREDO

    Se o cinza ficou famoso pelos seus 50 tons, aqui na ELLUS o vermelho não deixa a desejar. A cor do poder está com tudo na nossa special sale, que remarcou nossos produtos até 50% off. Mas nós, da Sala ELLUS, sempre temos uma boa notícia para dar por aqui. E a de hoje é especialmente para as mulheres: além do desconto, todas as peças da coleção feminina entraram em uma liquidação progresssiva!

    Funciona assim: além de aproveitar os itens em sale, você ainda ganha mais 10% de desconto na compra de duas peças ou mais 20% na compra de três ou mais itens. Tudo isso só para elas!

    Para ajudar você, montamos uma shopping list especial para te ajudar a entrar neste febre escarlate. Entre calças, tricôs e saias, a tonalidade aparece vibrante na nossa coleção inverno/2015.

    Mas atenção: a sale progressiva só vai até esta segunda (31/8).

    Clique aqui para comprar este tricô na Online Store.

    Clique aqui para comprar esta calça na Online Store.

    Clique aqui para comprar esta saia na Online Store.

    26/08/2015_14:43

    Quem não sente saudades da época em que as nossas únicas preocupações eram passar de fase no videogame do momento ou jogar bola com os amigos? Este é o melhor da linha ELLUS Kids: a marca incorpora este sentimento lúdico para agradar os pequenos nas adaptações de peças de moda que já fazem sucesso entre os adultos.

    Mas o melhor não é isso não: saiba que a ELLUS Kids integra a special sale da nossa Online Store e está com 50% de desconto!

    Motivo é o que não falta para aproveitar. A gente já sabe que, aqui na Ellus, filho de peixe, peixinho é. E se os adultos podem desfrutar da nossa coleção de inverno 2015 com preços mais do que amigos, as crianças também merecem.

    Entre t-shirts e calças, a Sala ELLUS montou uma shopping list com os itens essenciais da coleção ELLUS Kids. No maior estilo pique-pega, a gente avisa: melhor correr ou você vai perder essa!

    Clique aqui para comprar esta t-shirt na Online Store.

    Clique aqui para comprar esta t-shirt na Online Store.

    Clique aqui para comprar esta calça na Online Store.

    Clique aqui para comprar esta blusa na Online Store.

    24/08/2015_15:04

    por MARAYSA FIGUEIREDO

    João Freire não para. Seu blog, que está prestes a completar um ano, é um guia completo de estilo e e elegância do homem moderno. Também pudera: ele atualmente se divide entre São Paulo e  Nova York — e tem como missão trazer para seu site o melhor das duas cidades. E por falar em estilo e elegância, estas são as palavras-chave que inspiram o paulista, nascido em Santos, a compor um look: “São os dois fatores que guiam minhas escolhas”, contou João, com exclusividade para o Sala ELLUS.

    Sua formação como relações internacionais só o impulsionou a ir de encontro com a sua verdadeira paixão: a moda e o universo masculino. Descoberta feita, João foi atrás do que o inspirava. O jet setter passou uma temporada em Nova York e foi no FIT — Fashion Institute of Technology , que ele se especializou em Consultoria de Imagem e Estilo. Nem a gigante Sack’s pode resistir ao talento de João, que foi consultor de imagem da loja situada na Fifth Avenue. Acumulando experiências e insights, João Freire é referência quando se trata de “where to go” e “what to wear”.

    O dia a dia dele é intenso: entre uma ponte aérea e outra, ele ainda arranja tempo para cuidar do corpo: “Não sei fazer dieta e AMO comer! Treino para poder comer tudo o que gosto”, confessa João. Quem ainda não o segue no Snapchat (@freirejoao), corre lá pra ver o que ele apronta com as cordas na sua rotina de fitness.

    Em um superpapo com o sala ELLUS, João dividiu com a gente segredos valiosos de estilo e lifestyle:

    SÃO PAULO OU NOVA YORK? “As duas cidades são muito parecidas. NYC é uma versão mais intensa e competitiva de São Paulo. Poderia até arriscar que é uma versão “de gente grande”. Amo as duas cidades igualmente, dos pontos negativos aos positivos. Não conseguiria escolher apenas uma.”

    PEÇAS-CHAVE: “Jaquetas e acessórios. Sapatos, pulseiras e óculos transformam qualquer produção.”

    LEITURA OBRIGATÓRIA: ”Adoro biografias e guias de viagem.
    Estou lendo ‘O Sobrevivente’, heranças do curso de Relações Internacionais que permanecem até hoje…”

    FILME DA VIDA: “‘Meia-noite em Paris’ e ‘Sex and the City’ 1 e 2.”

    RESTÔS PREFERIDOS: Myk, Rodeio e Le Jazz, em São Paulo, e Indochine, Carbone e Bondst, em NYC.

    SOBRE A ROTINA DE TREINOS: “Tento ter um ritual. Sempre me alimento bem, com alimentos saudáveis e café, para despertar! Antigamente tomava pré-treino, hoje com a loucura da rotina, não consigo mais. Nunca sei que horas terei livre para treinar.”

    TRILHA: “Gosto de todos os tipos de música! Adoro pop, house, rock, sertanejo, jazz… Gosto de artistas que levam a música para seu estilo de vida. Admiro os que conseguem fazer isso.”

    TREND ALERTS 2016: “O universo masculino é sempre mais tradicional. No entanto, o que vi mês passado no ultimo Men’s NYFW foi o jeans, o amarelo, suéteres diferentes e acessórios para mochilas, bolsas e pastas. Clutches masculinas — tipo porta documentos — vieram com tudo; todas as marcas estão apostando! E eu, acho superbacana! Vale a pena arriscar. Porque, de rotina, já basta em nosso dia a dia, né?”

  • Doois Sites e Sistemas